O FC Porto recebe na tarde deste sábado o Marítimo no Estádio do Dragão, em jogo a contar para a 3ª jornada do campeonato nacional de futebol. No encontro, que está marcado para as 18h30, o FC Porto procura a terceira vitória consecutiva, enquanto o Marítimo tenta a segunda.

Os dragões estão num bom momento e chegam a este encontro depois de vencerem o Sporting de Braga no Estádio do Dragão, por 3-1, na 1º jornada, e de golearem o Boavista no dérbi da Invicta na semana passada, por 5-0. Os madeirenses perderam logo na primeira ronda por 2-0 com o Santa Clara, mas na 2ª jornada, em casa, venceram o Tondela por 2-1.

No entanto, as receções ao Marítimo são de boas memórias apenas para os dragões. Os madeirenses nunca venceram no Estádio do Dragão (para o campeonato) e nos últimos cinco jogos no reduto do FC Porto, perderam sempre.

É preciso viajar até 2008 para recordar a última vez que o Marítimo não perdeu no Dragão para o campeonato nacional - encontro terminou com um empate sem golos. Na temporada 2015/2016, o Marítimo venceu no terreno dos 'azuis e brancos', por 3-1, mas em jogo a contar para a Taça de Portugal, e foi a única vez que os insulares saíram vitoriosos do Dragão.

O mais recente embate entre madeirenses e portistas no Dragão aconteceu em junho deste ano para a 26ª jornada do campeonato nacional e terminou com a vitória dos homens da casa por 1-0, com um golo de Jesús Corona. Em 2018/2019, o encontro ficou 3-0 com golos de Telles, Militão e Brahimi. Já na temporada anterior, Diego Reyes e um bis de Marega deram a vitória aos dragões, enquanto Fábio Pacheco reduziu para o Marítimo. Em 2017/2018, o jogo terminou por 2-1, com golos de Brahimi e André Silva, além da redução de Djoussé. Enquanto que na longínqua época de 2015/2016, um golo solitário de André André deu a vitória aos dragões.

As equipas

Do lado do FC Porto, Agustín Marchesín lesionou-se nas costas e dificilmente estará apto para a receção ao Marítimo. Esta sexta-feira, o guardião fez tratamento às costas devido a uma contusão na grade costal. São cinco assim as ausências nos dragões, três de guarda-redes já que Cláudio Ramos e Mbaye também continuam indisponíveis.

De resto, Evanilson realizou treino condicionado e trabalho de ginásio. Iván Marcano também fez tratamento e ginásio.

Já o Marítimo viaja até ao norte do país, com apenas uma baixa no plantel, a de Fábio China, por castigo. O lateral foi expulso com vermelho direto no encontro com o Tondela da 2ª jornada, depois de travar em falta Rafael Barbosa quando este estava sozinho na cara do golo.

O que dizem os treinadores

O treinador do FC Porto disse confiar que o congénere do Marítimo não faça “algo que envergonha o futebol português” na partida da terceira jornada da I Liga portuguesa de futebol.

Depois de o Tondela, adversário dos insulares na última jornada, se ter queixado do antijogo, Sérgio Conceição afirmou que "Lito Vidigal saberá fazer o seu melhor" para que isso não aconteça.

"Conheço o Lito há alguns anos. Para lá da inteligência que ele tem, em termos táticos também a tem e saberá fazer o seu melhor. Confio na sua inteligência para não fazer algo que envergonha o futebol português. Somos das ligas com menos tempo útil de jogo. Isso é um problema que merecia outro tipo de discussão", disse.

O treinador dos ‘dragões’ acredita que há soluções para evitar esse tipo de situações, esperando que “neste tipo de situações haja coragem por parte dos árbitros, para dar 15 ou 20 minutos a mais no final do jogo”.

“Há situações que não podemos passar por cima delas. Poderá haver um jogador no chão e não podemos deixar a equipa médica entrar. O árbitro é que tem de perceber. Não quero amarelos aos adversários ao minuto 90. Não vale a pena. Neste momento, quero acabar este tema como comecei. Pelo que conheço do Lito, nunca necessitou de antijogo para ser competitivo", afirmou.

Após dois triunfos nas jornadas inaugurais frente ao Sporting de Braga e ao Boavista, o FC Porto procura manter esse trajeto vitorioso na receção ao Marítimo e Sérgio Conceição espera um jogo inteligente e bem jogado.

"Temos de saber sofrer, ter paciência e inteligência. Para nós é exatamente a mesma coisa. Vamos ter momentos em que coletivamente teremos de ser fortes. Acredito que muito do que queremos para o jogo depende da paciência para fazer o jogo e precisamos de inteligência para avaliar pontos fracos e fortes do nosso adversário", referiu.

Já o treinador do Marítimo, Lito Vidigal, disse que espera que a sua equipa esteja "intensa e mentalmente forte" na visita ao FC Porto.

“Vamos jogar dentro daquilo que são as nossas características, as nossas forças e também as nossas debilidades. É um jogo difícil, com um adversário forte, mas nós temos de pensar que podemos vencer. É esta a mentalidade que eu passo para os jogadores”, afirmou o técnico ‘verde rubro’, na conferência de imprensa de antevisão do jogo de sábado.

Lito Vidigal defende que a “receita” para vencer no reduto do 'dragões' passa por saber “sofrer”, ter muita “paciência” e também ser “inteligente” e “audaz” na procura do golo, apesar das “diferenças”.

“O FC Porto é muito forte defensivamente e ofensivamente, por isso, é que todos os anos luta pelo título. Já ganharam duas vezes a Liga dos Campeões, há diferenças entre o FC Porto e o Marítimo, mas não pode haver diferenças no que toca à ambição de vencer”, alertou o treinador.

Arbitragem

Rui Costa da Associação de Futebol do Porto foi o escolhido pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol para arbitrar o FC Porto-Marítimo.

Nuno Manso e Nélson Cunha foram nomeados para assistentes de Rui Costa, enquanto Cláudio Pereira será o quarto árbitro. Luís Ferreira fica no VAR, auxiliado por Nuno Eiras.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.