FC Porto e Benfica empataram hoje 1-1, em jogo da 14.ª jornada da I Liga, disputado no estádio do Dragão, com ambas as equipas a continuarem a quatro pontos do líder Sporting. Os 'encarnados' chegaram à vantagem aos 17 minutos, com um golo de Grimaldo, mas os 'dragões' fizeram o empate aos 25, através de Taremi. O iraniano acabou por ver um cartão vermelho direto aos 73, deixando os ‘azuis e brancos’ com menos um jogador em campo.

Com este empate, o FC Porto e o Benfica estão no segundo lugar, ambos com 32 pontos, mantendo os quatro de diferença para o Sporting (36), que também hoje empatou em casa com o Rio Ave (1-1).

Sérgio Conceição avançou com o onze esperado, face às ausências de Manafá e Otávio, que testaram positivo à COVID-19 - jogaram Nanu e Luis Díaz. Já Jorge Jesus surpreendeu com Grimaldo a médio esquerdo (já tinha sido testado nessa posição na Taça), entrando Nuno Tavares a lateral esquerdo. Seferovic foi aposta na frente de ataque, ao lado de Darwin Núñez.

O FC Porto entrou mais forte e aos 7 minutos Matheus Uribe rematou com força de fora da área, mas Vlachodimos segurou. Na primeira incursão do ataque do Benfica, Darwin correu pela esquerda e cruzou rasteiro para o desvio de Sereforic na pequena área, com a bola a sair pela linha de fundo.

Havia mais FC Porto nestes minutos iniciais, mas acabou por ser o Benfica a chegar à vantagem, com a inovação de Jorge Jesus a resultar: grande jogada no lado esquerdo com Nuno Tavares a cruzar para Seferovic, o suíço deu um toque subtil para Grimaldo (17'), que à saída de Marchesín picou a bola por cima do guardião argentino.

Durou pouco a vantagem 'encarnada'. Aos 25' Sérgio Oliveira fez um grande passe para as costas de Gilberto, Corona puxou para dentro e entregou a Taremi, que rematou cruzado em direção à baliza de Vlachodimos. A bola ainda desviou em Marega antes de entrar.

A equipa de Jorge Jesus não baixou os braços e, já perto da meia-hora de jogo, Darwin atirou ao ferro após cruzamento rasteiro de Pizzi, com Marchesin completamente batido. Pouco tempo depois foi a vez de Luis Díaz aproveitar um desequilíbrio de Otamendi para rematar em arco, ao lado da baliza benfiquista.

A intensidade não baixou até ao intervalo, com o Benfica a voltar a estar muito perto golo aos 43': contra-ataque conduzido por Rafa e depois, já na área portista, Darwin rematou com perigo, obrigando Marchesín a desviar a bola para o lado. Terminada a primeira parte, era evidente o equilíbrio deste clássico em remates (5-5), posse de bola (49%-51%) e cantos (1-1).

O jogo perdeu intensidade após o reatamento, com mais faltas e mais paragens - os ânimos aqueceram e um elemento da equipa técnica portista foi mesmo expulso após pedir um segundo amarelo para Pizzi. Aos 62' Rafa Silva apareceu na pequena área depois de um ressalto, mas Marchesin saiu rápido dos postes e fez a mancha. A resposta portista surgiu num pontapé livre de Sérgio Oliveira, com Marega a cabecear para a defesa de Vlachodimos.

Aos 72 minutos, Taremi atingiu Otamendi com os pitons e acabou por receber ordem de expulsão (Luís Godinho corrigiu a cor do cartão após ver as imagens do lance). Ainda assim, o FC Porto voltaria a assustar, com Luis Díaz a ganhar de cabeça a Gilberto e a amortecer para Marega, que não dominou bem e permitiu a defesa a Vlachodimos.

Sérgio Conceição foi o primeiro a mexer, lançando em campo João Mário e Diogo Leite. Logo a seguir, Jorge Jesus tirou Grimaldo e fez entrar Everton, que aos 86' tentou marcar de longe, mas a bola passou por cima da baliza de Marchesín. Já na compensação, Uribe também tentou a sorte com um disparo de fora da área, mas o marcador não voltou a mexer e o clássico terminou mesmo empatado.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.