A 17 de abril de 1982, depois de se ter afastado do clube e de ter sido motivado pelos adeptos a regressar como presidente, a lista única encabeçada por Jorge Nuno Pinto da Costa à presidência do FC Porto recebia 95% dos votos, dando inicio a um 'reinado' que dura até aos dias de hoje à frente aos 'dragões', mais precisamente um reinado de 38 anos.

Do hóquei para a presidência

O percurso de Pinto da Costa dentro do FC Porto quando aos 20 anos é convidado para ser vogal da seção do hóquei em patins em, acabando por se tornar chefe da modalidade em 1962.

Anos mais tarde passa a ser o líder da secção de box-azul e branca, antes de em 1969 integrar a lista de Afonso Pinto de Magalhães como diretor das modalidades, cargo que mantém até 1971.

Depois de um periodo afastado de funções no FC Porto, 1976 marca o regresso de Pinto da Costa à estrutura dos 'dragões' e desta vez como diretor para o futebol.

Com Pedroto de regresso ao banco 'azul-e-branco' depois de uma passagem pelo Boavista, o na altura diretor do futebol do FC Porto leva o clube à conquista do campeonato nacional em 1978, colocando um ponto final no jejum de 19 anos.

Contudo, a fricção entre treinador e diretor do futebol com a presidência do clube, liderada por Américo de Sá, levou a que os dois primeiros abandonassem o clube em 1980, um período conturbado da história do FC Porto.

Com um grupo de adeptos a desafiarem Pinto da Costa para se candidatar à presidência do clube em 1982, a decisão final de avançar com a candidatura só surgiu depois de uma conversa... com a mãe.

"Nessa altura de indecisão, fui visitar a minha mãe. Ela não percebia nada de futebol, mas ouvir sempre as noticias e perguntou-se se eu ia ser presidente. Pedi-lhe a opinião, mas quando esperava ouvir algo como 'não te metas nisso', ela disse-me que aquele era o meu destino. (...) Se ela me tivesse dito aquilo que eu estava à espera de certeza que não teria sido presidente do FC Porto", disse declarações ao Porto Canal, reproduzidas pelo jornal 'O Jogo' desta sexta-feira.

A 17 de abril de 1982 é eleito presidente do FC Porto com 95% dos votos, tornando-se no 33.º presidente do clube até hoje.

Os títulos

O primeiro título surge pela modalidade que inseriu Pinto da Costa na estrutura dos 'dragões', com a conquista da Taça das Taças pela secção de hóquei em patins em '82.

Na época de 1983/1984, o futebol do FC Porto conquista os primeiros títulos sob a liderança do novo presidente com a conquista da Taça de Portugal e depois da Supertaça.

O troféu de Campeão Nacional, esse regressa ao Estádio das Antas em 84/85, o primeiro de sete em 10 épocas, até 1994/1995, época que marcaria o ínicio do 'pentacampeonato', feito único no futebol português.

A nível europeu a chegada a uma final aconteceu em 1984, frente à Juventus na final da Taça das Taças, sendo derrotado pela equipa transalpina por 2-1.

Três anos depois, a glória europeia. Com Artur Jorge agora no comando do FC Porto, os 'dragões' derrotaram o Bayern de Munique por 2-1 na final de Viena e levantaram pela primeira vez o título de Campeão Europeu, sagrando-se vencedor da Taça dos Campeões Europeus (atual Liga dos Campeões).

Nos primeiros 10 anos à frente do clube, Pinto da Costa viu o FC Porto levantar 15 troféus - quatro campeonatos nacionais, uma Taça dos Campeões Europeus, três Taças de Portugal, uma Taça Intercontinental, uma Supertaça Europeia e cinco Supertaças de Portugal.

Os títulos, esses só vieram a aumentar nos anos seguintes: o 'penta' entre '95 e '99 e um 'tetra' entre 2005 e 2009 na I Liga, uma Taça UEFA em 2003 e a 'pièce de résistance': o segundo título de Campeão Europeu, com a conquista da Liga dos Campeões em 2004, frente ao Mónaco em Gelsenkirchen, com José Mourinho nos comandos da equipa.

FC Porto Liga dos Campeões 2004
FC Porto Liga dos Campeões 2004 créditos: JOHN MACDOUGALL / AFP

Com 60 títulos no futebol e mais umas largas centenas das modalidades na sala de troféus do Estádio do Dragão, Pinto da Costa é o presidente com o mais longo palmarés do mundo, tendo já ultrapassado o mítico Santiago Bernabéu, antigo presidente do Real Madrid.

Uma estabilidade única na I Liga

A longividade de Pinto da Costa é caso raro no mundo e por inerência em Portugal.

Olhando para as presidências dos atuais clubes da I Liga, nenhum está perto de um nível de longividade consecutiva parecido com Pinto da Costa.

O Marítimo é o que menos presidentes teve desde que Pinto da Costa assumiu o comando do FC Porto em 1982, tendo tido quatro presidentes nestes 38 anos.

Os rivais Benfica e Sporting somaram, respetivamente, sete e treze presidentes nas últimas quase 40 décadas.

O clube que mais presidentes teve nos últimos anos foi o Famalicão, com 18 líderes diferentes em 38 anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.