A chegada de Bruno Lage ao comando técnico do Benfica após a saída de Rui Vitória do cargo de treinador dos 'encarnados' permitiu a uma série de jogadores do plantel encarnado ganhar um lugar de destaque na caminhada rumo ao título de campeão nacional.

Se no início da temporada Rui Vitória apostou na experiência de jogadores como Jardel, Fejsa ou Salvio na equipa principal do Benfica, Bruno Lage acabou por ficar associado a uma maior aposta em jogadores que aparentemente não entravam nas contas do seu antecessor. O exemplo mais emblemático desta aposta de Bruno Lage em jogadores 'proscritos' por Rui Vitória é o de Adel Taarabt.

O médio marroquino chegou ao Benfica em 2015 e praticamente não jogou devido a problemas pessoais. Depois de trabalhar com Bruno Lage na equipa B do Benfica, Taarabt reconquistou os índices físicos e motivacionais para jogar futebol e foi com alguma surpresa que acabou por ser reintegrado no plantel principal pelo novo técnico.

Depois de quatro anos a oscilar entre a equipa B e um empréstimo aos italianos do Génova, Adel Taarabt redimiu-se do rótulo de jogador 'pouco profissional' para alcançar a estreia na equipa principal do Benfica no jogo da 27.ª jornada frente ao Tondela. Bruno Lage lançou o médio marroquino aos 71 minutos de um jogo que estava complicado vencer, e Taarabt correspondeu de forma positiva à aposta do técnico. Seguiu-se então a estreia de Taarabt em 'dérbis' ao entrar aos 82 minutos do jogo da Taça de Portugal frente ao Sporting.

Após a eliminação do Benfica na Taça de Portugal frente ao Sporting, Bruno Lage promoveu a estreia a titular de Taarabt no encontro da 28.ª jornada diante do Feirense, e o médio marroquino esteve em bom plano no triunfo por 4-1 em Santa Maria da Feira. Até ao final do campeonato, Taarabt foi utilizado com regularidade como suplente utilizado, com Bruno Lage a demonstrar que contou com todos os jogadores do plantel.

Apesar de não ter disputado qualquer jogo sob as ordens de Rui Vitória, Ferro estreou-se esta época na equipa principal do Benfica com Bruno Lage no 'dérbi' da Taça de Portugal frente ao Sporting. Jardel lesionou-se aos 37 minutos e deu lugar a Ferro, que agarrou o lugar com a naturalidade de quem conhece os 'cantos à casa'.  Frente ao Nacional da Madeira, Ferro estreou-se a titular num jogo em que também se estreou a marcar pela equipa principal do Benfica na histórica goleada por 10-0. Nos jogos seguintes, Ferro assumiu-se como titular indiscutível ao lado de Rúben Dias, com quem fez grande parte da formação no Seixal, e apenas falhou jogos do campeonato devido a castigo, nomeadamente na 23ª jornada em que cumpriu um jogo de suspensão pelo cartão vermelho frente ao Desportivo das Aves.

Outro dos talentos formados no Seixal que conseguiu afirmar-se com Bruno Lage foi João Félix. O jovem avançado estreou-se a titular com Rui Vitória, mas foi com o atual técnico do Benfica que mostrou todo o seu potencial a jogar ao lado de Seferovic na frente de ataque dos 'encarnados'.

Com a saída de Rui Vitória do comando técnico do Benfica, João Félix ganhou outro protagonismo na equipa principal dos 'encarnados'. Logo no primeiro jogo de Bruno Lage à frente da equipa do Benfica, João Félix voltou a ser titular e 'bisou' na vitória dos 'encarnados' frente ao Rio Ave por 4-2 ao fazer uma dupla temível com Seferovic na frente de ataque. O rendimento apresentado por João Félix na equipa principal levou a uma aposta contínua de Bruno Lage na sua titularidade, sendo um dos jogadores totalistas da segunda volta do campeonato tendo realizado 19 jogos consecutivos do campeonato a titular. Com (13) golos e (7) assistências no campeonato, João Félix tornou-se numa das peças fundamentais para a conquista do 37.º título de campeão do Benfica.

Já Gedson Fernandes mereceu a titularidade do Benfica com Rui Vitória, mas acabou por perder preponderância na equipa com a chegada de Bruno Lage, já depois de disputar um lugar no onze com o médio brasileiro Gabriel.

Contratado ao Leganés no final da época passada, Gabriel estreou-se a titular na equipa do Benfica à quinta jornada no triunfo dos 'encarnados' sobre o Desportivo das Aves por 2-0. O médio brasileiro repetiu a titularidade nos quatro jogos seguintes, com destaque para o 'clássico' da 7ª jornada frente ao FC Porto, mas acabaria por ser relegado para a condição de segunda opção até regressar à condição de titular frente ao Ajax no jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões no Estádio da Luz.

Depois de uma série de jogos a titular, Gabriel acabou por perder a titularidade para Gedson Fernandes até voltar a ser primeira opção de Rui Vitória na equipa do Benfica no jogo da Taça de Portugal dos oitavos de final frente ao Montalegre. Com a saída de Rui Vitória do comando técnico do Benfica, Gabriel conquistou definitivamente o estatuto de titular com Bruno Lage e só uma lesão no jogo das meias-finais da Taça de Portugal frente ao Sporting impediu que o médio brasileiro jogasse os restantes jogos do campeonato (?).

Mas se há jogador que raramente foi utilizado por Rui Vitória e que com a chegada de Bruno Lage ao Benfica ganhou outra dimensão na equipa dos 'encarnados' foi Samaris. O médio grego estreou-se a titular esta época no jogo da 3.ª eliminatória da Taça de Portugal frente ao Sertanense, mas com Rui Vitória foi utilizado esporadicamente como suplente utilizado nos jogos frente a FC Porto e Tondela.

Com a chegada de Bruno Lage à equipa do Benfica, Samaris conquistou a titularidade à 18.ª jornada do campeonato no triunfo dos 'encarnados' frente ao Vitória de Guimarães. O médio grego agarrou a oportunidade concedida pelo novo treinador do Benfica e justificou a aposta com uma série de excelentes exibições. Depois do jogo em Guimarães, Samaris manteve o estatuto de titular até ao final do campeonato sendo um dos jogadores em destaque na reconquista do título de campeão nacional.

Outro dos jogadores que ganhou outro protagonismo com a chegada de Bruno Lage à equipa principal do Benfica foi Haris Seferovic. O avançado suíço não foi primeira opção de Rui Vitória nas primeiras jornadas do campeonato nacional, mas acabou por ir conquistando o seu lugar na equipa, nomeadamente no 'clássico' da 7ª jornada em que apontou o golo da vitória do Benfica.

Apesar do golo apontado ao FC Porto à 7ª jornada, o rendimento de Seferovic no campeonato nacional com Rui Vitória no comando técnico estava muito abaixo do esperado e o avançado helvético contava apenas com quatro golos na prova quando Bruno Lage assumiu o comando técnico.

Desde que Bruno Lage pegou na equipa principal do Benfica, Seferovic transformou-se numa autêntica máquina de fazer golos ao lado de João Félix, e na segunda metade do campeonato ascendeu à liderança da lista dos melhores marcadores com um total de 21 (golos).

Basta constatar os números de Seferovic para observar o rendimento exponencial do avançado suíço desde que Bruno Lage assumiu o comando técnico dos 'encarnados'. Se com Rui Vitória, o avançado helvético tinha apenas quatro golos em 12 jogos disputados no campeonato, com Bruno Lage Seferovic apontou um total de 17 golos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.