O defesa Florent reconheceu ter ficado surpreendido com os três casos de infeção pelo novo coronavírus, responsável pela pandemia de COVID-19, que surgiram no plantel do Vitória de Guimarães, clube da I Liga portuguesa de futebol.

O clube anunciou, no sábado, que três jogadores acusaram positivo nos testes realizados à estrutura do futebol vimaranense, na sexta-feira, resultado que surpreendeu o lateral esquerdo francês, de 30 anos, pelo facto de os colegas em questão se encontrarem assintomáticos.

"Não sentimos choque, mas surpresa. Os jogadores infetados não têm um sintoma. Eles fizeram outro teste e estamos à espera dos resultados. Fiquei surpreendido, porque toda a gente está com saúde e a cumprir as regras. Acontece, mas é estranho que algum de nós tenha sido afetado", disse aos jornalistas, numa videoconferência promovida pelo Vitória.

Apesar dos casos de infeção, o plantel continuou a seguir o plano de treinos individuais na academia, em vigor desde 04 de maio, até porque, para Florent, ninguém pode "garantir que os jogadores tenham sido infetados nos treinos".

"Podem ter sido infetados no elevador, quando iam para casa. Em qualquer lado, qualquer um de nós está sujeito a ser infetado", observou.

Rastreado por duas vezes na semana anterior, a primeira no relvado após a interrupção do campeonato, o plantel vitoriano foi novamente testado na quarta-feira e, no caso de ninguém estar infetado, pondera iniciar os treinos em grupo durante a próxima semana.

"[Se tudo correr] normalmente, na próxima semana vamos começar os treinos em grupo. Estamos à espera dos últimos testes para termos a certeza de que toda gente está com saúde", adiantou o jogador, recusando a ideia de estar "ansioso" por saber o resultado.

A Liga de Clubes anunciou, na quarta-feira, que o campeonato vai regressar em 04 de junho, data que se pode traduzir em pouco mais de duas semanas para o Vitória de Guimarães, sexto classificado, com 37 pontos, preparar em grupo o jogo da 25.ª jornada com o Sporting, quarto colocado, com 42.

Florent admitiu que duas semanas "não é muito tempo" para a equipa vimaranense preparar em conjunto a receção aos ‘leões', mas lembrou que os jogadores desenvolveram automatismos nos últimos sete meses que podem reaparecer.

Após os 10 encontros cumpridos em 2018/19, a primeira temporada em Guimarães, o atleta ganhou a titularidade nesta época, com 30 jogos contabilizados, e recuperou a "confiança" que tinha quando representava o Belenenses - cumpriu 77 jogos pelos ‘azuis', entre 2016/17 e 2017/18.

Depois de ter chegado a Portugal em 2011, para representar o Leixões, o jogador frisou ainda sentir-se "tão português quanto francês", mas disse não pensar em naturalizar-se, nem em representar a seleção lusa, quando questionado sobre essas possibilidades.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 297 mil mortos e infetou mais de 4,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.184 pessoas das 28.319 confirmadas como infetadas, e há 3.198 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.