O antigo jogador do FC Porto Domingos Paciência defende que os ‘dragões' vão jogar "nos limites" no clássico deste sábado com o Benfica, da 20.ª jornada da I Liga de futebol, em nome de uma "reaproximação" pelo título.

Em entrevista à Lusa, o ex-avançado ‘portista', agora com 51 anos, admite que o seu antigo clube "joga muito neste jogo" e que este "se tornou demasiado importante" nesta fase da época, face à atual desvantagem de sete pontos para o líder Benfica.

"Na eventualidade de uma vitória ou empate, o Benfica fica com a estrada aberta para o título. Agora, sabemos perfeitamente que o FC Porto joga muito neste jogo, porque tem consciência de que este jogo, em caso de vitória, pode colocá-lo na luta pelo título", refere.

Para Domingos Paciência, a goleada alcançada na última jornada sobre o Vitória de Setúbal (4-0) foi "importante" para o FC Porto recuperar alguma confiança. No entanto, o treinador português - que já orientou Sporting, Sporting de Braga ou Académica, entre outros - destaca "os momentos diferentes" que os dois conjuntos vivem.

"Acho que o Benfica não vai mudar em nada a forma como procura sempre impor o seu jogo e vai procurar fazer isso no Dragão. O Benfica tem a vantagem de ter sete pontos de vantagem e de ser uma equipa mais confiante, sabendo que, independentemente do que possa acontecer neste jogo, não põe em causa a ambição de ganhar o campeonato", explica.

Em sentido inverso, Domingos reconhece na formação orientada por Sérgio Conceição "alguma irregularidade" e dúvidas na definição da equipa, nomeadamente no meio-campo e ataque, sem deixar de sublinhar, porém, que o facto de o clássico se disputar no Estádio do Dragão poderá ter um peso decisivo a favor do FC Porto.

"Estou convencido de que o FC Porto a jogar em casa - leva já há uns anos vantagem sobre o Benfica nesse aspeto - pode ganhar. Tem qualidade e jogadores para ganhar, mesmo não estando nos seus melhores dias", nota o antigo internacional português, que lembra também o triunfo (2-0) dos ‘dragões' na Luz na primeira volta do campeonato: "É evidente que um FC Porto a jogar da forma como fez na Luz é muito forte".

Questionado sobre as mais-valias do conjunto treinado por Bruno Lage, Domingos Paciência vê em Pizzi e Rafa os "motores da equipa" ‘encarnada', responsáveis por muita da dinâmica ofensiva que o Benfica evidencia, nomeando o veloz avançado português como a principal ameaça. Já sobre o maior candidato a desequilibrar o encontro a favor do FC Porto, a escolha recai no mexicano Corona.

O clássico da 20.ª jornada da I Liga de futebol entre o FC Porto, segundo classificado, com 47 pontos, e o Benfica, primeiro, com 54, está marcado para este sábado, às 20:30, no Estádio do Dragão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.