O Rio Ave protagonizou em 2019/20 uma época que ficará para sempre registada na história do emblema vila-condense, ao atingido o objetivo de uma qualificação para as provas da UEFA e bater vários recordes no clube.

A equipa orientada pelo experiente técnico Carlos Carvalhal, que sucedeu no cargo a Daniel Ramos, terminou a temporada no quinto lugar do campeonato, com 55 pontos, uma cifra que nunca tinha sido conseguido no histórico de participações dos nortenhos na I Liga.

Além desse feito, a formação da foz do Ave fechou a sua prestação com outros números recorde, nomeadamente nas vitórias fora de casa (9), nos pontos conquistados como visitante (31) e igualando a melhor sequência de nove jogos consecutivos sem perder no campeonato.

No regresso ao futebol luso de Carvalhal, depois de algumas épocas em Inglaterra, as expectativas sobre a prestação da equipa foram desde cedo elevadas, mas não defraudas, com o Rio Ave a mostrar um futebol atrativo e com uma regularidade, que acabou por ser o seu grande trunfo.

Ao plantel que já era experiente, os responsáveis do emblema vila-condense conseguiram adicionar algumas mais valias que se mostraram decisivas, nomeadamente o defesa central Santos, o extremo Carlos Mané, e, sobretudo, o avançado iraniano Taremi, uma das grandes revelações do campeonato, com 18 golos, para ser o segundo melhor artilheiro.

A consistência da equipa foi visível praticamente desde o início do campeonato, com os vila-condenses quase sempre no ‘top 10’ da classificação e a 'arrancarem' um vistoso triunfo em Alvalade, um empate no Dragão e um decisivo triunfo em casa, frente ao Sporting de Braga, que catapultou as ambições europeias.

O deslize mais doloroso aconteceu no regresso pós paragem da competição, devido à pandemia de covid-19, quando uma derrota frente ao Paços de Ferreira interrompeu uma série de nove jornadas sem derrotas.

Pelo meio, ficou um doloroso afastamento da ‘final four’ da Taça da Liga, após uma derrota caseira com o Gil Vicente, que mereceu fortes críticas à arbitragem de Carvalhal, que apresentou mesmo um pedido de demissão, ameaçando abandonar o futebol português, mas que não foi aceite pelo presidente do Rio Ave.

Mas, o jogo mais marcante aconteceu já na derradeira jornada do campeonato, frente ao Boavista, em que o Rio Ave, beneficiou de uma conjugação de resultados, ao cair do pano, para derrubar o rival Famalicão do quinto lugar do campeonato e festejar com champanhe a quarta qualificação para as provas europeias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.