Poderá ser um bom augúrio para a armada de Rúben Amorim. É a sexta vez que a equipa verde e branca dobra o ano na primeira posição nos últimos 50 anos. Nas cinco vezes que isso sucedeu, em três ocasiões o Sporting foi campeão nacional e terminou ainda por duas vezes na segunda posição - dados do playmakerstats. Mas calma, que ainda se está na 11.ª jornada e esta equipa terá muito que crescer.

Tal como se antevia, o duelo frente ao Belenenses SAD acabou por ser um encontro muito complicado para o líder da I Liga. A formação Petit contou mesmo com mais remates à baliza do que os verdes e brancos - onze contra sete. Desta feita, os leões tiveram pela frente uma equipa aguerrida e com a lição bem estudada. Teve o mérito de conseguir travar a construção leonina desde trás, o que obrigava o Sporting a jogar em profundidade, com lançamentos nas costas a solicitar a velocidade de Tiago Tomás.

No setor defensivo a equipa esteve demasiado errática, com muitas perdas de bola e inadaptação a um relvado que não esteve à altura de um clássico de emoção e carregado de intensidade, sobretudo na primeira parte.

O primeiro golo da partida foi uma exceção à regra, pela forma como o Sporting conseguiu desmontar a muralha azul. Tabata furou na direita, deu em Tiago Tomás que rodou e atirou para o primeiro. Mas depois inexplicavelmente o Sporting colocou a nu várias dificuldades defensivas, nomeadamente na marcação e na primeira fase de construção. Miguel Cardoso fez o empate num remate que ainda desviou em Gonçalo Inácio e traiu Adán. O guardião espanhol puxaria o protagonismo para si quando alguns minutos depois, parou a grande penalidade do mesmo Miguel Cardoso, depois dele próprio ter feito a falta. Numa primeira parte absolutamente eletrizante, foram os verdes e brancos que voltaram à vantagem ironicamente também da marca dos 11 metros. Tomás caiu na área, e na conversão João Mário deu de novo vantagem aos visitantes.

Mas nem o golo serviu para nortear a equipa leonina, que quase sucumbiu às sucessivas ofensivas do Belenenses SAD nos primeiros 45 minutos, paradas em inúmeras ocasiões pelo muito inspirado António Adán.

No segundo tempo, os verdes e brancos tentaram colocar gelo no jogo, mas os calafrios voltaram a suceder-se, fosse por um endiabrado Varela, ou por Afonso Sousa na meia distância. Ao invés de jogar direto, tal como aconteceu na primeira parte, a equipa de Amorim chamou para si a bola, tentando assim estancar o caudal ofensivo dos lisboetas.

Perante um trio menos rotinado, com entrada de Gonçalo Inácio que rendeu o lesionado Feddal, o Belenenses SAD, mesmo em inferioridade numérica, ainda colocou a bola na baliza, com o lance a ser invalidado por fora de jogo.

Exibição irregular dos leões que serve de aviso para o interior do grupo. Os adversários têm a mira apontada ao líder, que terá que improvisar e ser mais criativo no processo caso pretenda manter a posição.

Momento

A grande penalidade defendida por António Ádan (19´). O Belenenses SAD tinha acabado de chegar ao empate, caso tivesse concretizado o rumo do jogo poderia ter mudado a favor da equipa de Petit.

Melhores

Ádan

Melhor exibição do espanhol ao serviço do Sporting. Somou seis defesas no total, a que se somou um penalti defendido. Foi o principal obreiro do triunfo do Sporting no Jamor.

Tomás Tomás

Grande primeira parte do menino ainda com idade de júnior. Portentosa a forma como roda e atira de pé esquerdo para o primeiro golo do Sporting. Na segunda parte esteve mais discreto, devido às mudanças táticas implementadas por Rúben Amorim. Acabou por ser substituído na fase final do encontro.

Miguel Cardoso

O setor defensivo do Sporting sentiu muitas dificuldades em travá-lo. Foi o autor do golo dos azuis. Dispôs de várias oportunidades, inclusivamente uma grande penalidade que acabou por não concretizar. Esteve em bom plano, mas não foi eficaz.

Reações

Rúben Amorim: "Não podemos falar em estrelinha de campeão"

Petit: "O resultado é inteiramente injusto"

Adán e o lance do penálti: "Toco primeiro na bola e depois não posso sair do caminho dele"

Varela: "Criámos mais oportunidades, mas não conseguimos fazer golo"

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.