A audição da Liga de Clubes na Assembleia da República, a propósito das manifestações de racismo em recintos desportivos, foi hoje adiada para data a definir, confirmou à Lusa fonte da entidade responsável pela Liga de futebol.

De acordo com uma nota entretanto publicada no seu sítio oficial, o organismo liderado por Pedro Proença avança que “permanece totalmente disponível para marcar a audição solicitada assim que seja possível para todas as entidades”.

Era esperada a presença do presidente da Liga na Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias - em conjunto com a Comissão de Educação, Ciência, Juventude e Desporto – para explicar as medidas práticas adotadas com vista à prevenção e dissuasão do racismo e de outros comportamentos criminosos, na sequência do ‘caso Marega’ no jogo Vitória de Guimarães-FC Porto, em 16 de fevereiro.

O avançado do FC Porto recusou-se a permanecer em jogo e abandonou o campo, ao minuto 71, após ter sido alvo de insultos racistas por parte dos adeptos do clube vimaranense, numa altura em que os ‘dragões’ venciam por 2-1, resultado com que terminou o encontro da 21.ª jornada da liga.

Vários jogadores de ambas as equipas tentaram demovê-lo, mas Marega, que já alinhou no Vitória e tinha marcado o segundo golo dos ‘azuis e brancos’, mostrou-se irredutível e foi substituído por Manafá, depois de o jogo ter estado interrompido cerca de cinco minutos.

A sessão desta tarde com o presidente da Liga havia sido requerida pelos grupos parlamentares do Partido Comunista Português e do Bloco de Esquerda, depois de já também terem sido ouvidos recentemente sobre este tema na mesma comissão o Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.