Bruno Fernandes voltou a fazer o gosto ao pé no passado sábado, ao marcar o golo da vitória do Manchester United frente ao West Brom, através da marcação de uma grande penalidade.

Contudo, o já habitual salto do português antes da marcação deu que falar após a partida, com Ian Wright, ex-internacional inglês, a afirmar os microfones da BBC, no programa 'Match of the Day', que estes saltos não deveriam ser permitidos por uma questão de justiça com os guardiões.

"É difícil [para os guarda-redes]. Tens avançados a saltar, a fazer este tipo de coisas e os guarda-redes não podem mexer os pés... Eles deviam de impedir que saltassem, deviam só de correr e bater a bola. Se eles se podem mexer e os guarda-redes não, não é justo", disse.

Também Sam Johnstone, guarda-redes do West Brom, mostrou o seu desagrado com a permissão destes saltos antes da marcação de um penálti. Numa publicação no Twitter, que fazia referência à sua defesa do primeiro penalti marcado por Bruno Fernandes na partida, o guardião escreveu que "o avançado não devia de puder saltitar antes de rematar".

De notar que Bruno Fernandes não é o único a utilizar esta técnica: também Jorginho, do Chelsea, tem uma estratégia semelhante.

As leis do jogo apenas impedem o salto imediatamente antes da marcação do penálti, permitindo um salto na corrida para a bola.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.