O guarda-redes Hugo Lloris foi esta quarta-feira condenado a pagar uma multa de 50 mil libras, o equivalente a cerca de 56 mil euros, e ainda a pena a acessória de inibição de conduzir durante 20 meses por ter sido apanhado a conduzir sob os efeitos do álcool.

O jogador do Tottenham, que se declarou culpado em tribunal, foi detido em 24 de agosto ao volante do seu Porsche Panamera após uma operação de controlo da polícia em Gloucester Place, no centro de Londres, já depois das 2h da manhã.

Hugo Lloris, que representa os ingleses do Tottenham, foi detido e, mais tarde, libertado sob fiança.

Segundo as provas apresentadas em tribunal, o campeão do mundo apresentava mais do dobro do valor permitido de álcool no sangue. A taxa de alcoolemia era de 80 microgramas de álcool por 100 mililitros de hálito, mais que o dobro do limite legal no Reino Unido, de 35 microgramas por litro para a mesma quantia de hálito.

O procurador responsável pelo julgamento de Lloris acredita que o guarda-redes teve "pura sorte em não causar qualquer dano em outros veículos ou pedestres". O magistrado explicou ainda que o francês foi visto pela polícia londrina a conduzir lentamente e a virar o carro em direção a veículos que estavam estacionados, para depois corrigir a trajetória.

A acusação descreveu ainda que quando os agentes intercetaram o guarda-redes, encontraram vómito no carro, tendo sido necessário ajudar Lloris – que seguia acompanhado de mais duas outras pessoas – a sair do mesmo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.