O Benfica recebe esta quinta-feira no Estádio da Luz, a partir das 20h00, o Shakhtar Donetsk, em jogo da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, depois de uma derrota por 2-1 na partida da primeira mão, há uma semana, na Ucrânia.

Depois de regressar às vitórias, com um triunfo por 1-0 na visita ao Gil Vicente, a contar para a I Liga, que colocou fim à pior série da 'era' Bruno Lage - quatro jogos seguidos sem ganhar - o Benfica vai procurar mais um resultado positivo, que lhe permita seguir em frente para os oitavos de final de uma competição onde, na temporada passada, atingiu os quartos de final.

Histórico de confrontos

O encontro da primeira mão, em Lviv, foi o terceiro entre as duas equipas em provas da UEFA. E a vantagem é do Shakhtar, que soma agora duas vitórias contra apenas uma dos 'encarnados', tendo a turma ucraniana vencido na única anterior ocasião em que visitou o Estádio da Luz. Foi na fase de grupos da Champions League de 2007/2008, com os ucranianos a saírem vencedores da Luz com um golo assinado pelo brasileiro Jádson aos 42 minutos. As 'águias' eram, então, orientadas por José António Camacho.

Lage não fará poupanças com o Shakhtar a pensar na Liga mas avisa: "Temos de ser mais competente no momento defensivo"
Lage não fará poupanças com o Shakhtar a pensar na Liga mas avisa: "Temos de ser mais competente no momento defensivo"
Ver artigo

Ao todo, frente a equipas ucranianas, o Benfica já disputou 12 jogos oficiais, nos quais somou sete vitórias e cinco derrotas. Curiosamente, nunca registou qualquer empate diante de adversários da Ucrânia.

A jogar em casa o saldo também é positivo. Para além da já referida derrota com o Shakhtar, em 2007, o Benfica também perdeu com o Metalist, em 2008, mas venceu os restantes quatro encontros em casa contra formações ucranianas, e sempre sem sofrer golos, algo que poderá ser importante para a partida desta quinta-feira.

Quanto ao Shakhtar, para além desse triunfo na Luz já jogou outras oito vezes em solo português e ganhou em metade das ocasiões. Ao todo, o conjunto de Donetsk soma cinco vitórias, um empate e três derrotas nas deslocações a Portugal. Um registo positivo que o Benfica terá de contrariar se quiser seguir em frente na prova.

Momento de forma

O Benfica só venceu um dos últimos cinco jogos que disputou e está a passar por um dos momentos mais complicados da temporada em termos de resultados. A jogar em casa, as 'águias' perderam o último jogo - frente ao Sporting de Braga - e viram aí ser interrompida com estrondo uma série de 12 triunfos caseiros consecutivos no conjunto de todas as provas. Nas competições europeias - onde o Benfica arrancou, esta época, na fase de grupos da Liga dos Campeões - o conjunto 'encarnado' soma esta temporada duas vitórias e uma derrota.

Quanto ao Shakhtar, a turma de Luís Castro só jogou dois jogos em 2020 - a partida da primeira mão contra o Benfica e outra para a Liga ucraniana - e venceu as duas. Perdeu apenas um dos últimos 12 jogos oficiais que disputou no conjunto de todas as competições - na receção ao Atalanta, que custou o adeus à Liga dos Campeões - e, fora de portas, não perde desde outubro. Na Europa, esta época, no Grupo C da Liga dos Campeões, não averbou qualquer derrota: venceu em Itália o Atalanta e empatou nos terrenos de Manchester City e Dinamo Zagreb.

O que dizem os treinadores

Na antevisão da partida, Bruno Lage, treinador do Benfica, afirmou que irá colocar em campo os melhores jogadores disponíveis para o encontro, num jogo em que as 'águias' estão obrigadas a ir atrás do resultado.

“Temos de ir à procura do resultado que nos permita seguir em frente. Queremos uma entrada forte, frente a um adversário competente, com bola e sem bola, procurando não nos expormos a espaços que o Shakhtar gosta de explorar”, afirmou acrescentando que a equipa tem de ser “mais competente no momento defensivo”.

Luís Castro, técnico do Shakhtar, referiu que ,apesar do resultado na primeira mão, a equipa ucraniana não irá jogar para um empate, algo que nunca fez na sua carreira.

“Antes de um jogo, nunca fui capaz de dizer a uma equipa minha que íamos entrar em campo para empatar. O nosso objetivo é sempre ganhar, mesmo com hipóteses reduzidas que isso aconteça. [Na primeira mão] Estivemos por cima grande parte do tempo, mas as hipóteses eram divididas. Esperamos sair vitoriosos da batalha de Lisboa”, sublinhou antes de acrescentar que não acredita numa crise 'encarnada'.

“Eu duvido muito das crises dos clubes. Acredito em zonas do ano mais complexas. Perder com equipas que toda a gente reconhece que são fortes é crise? Crise é perder com equipas que estão a lutar para não descer, de forma seguida. Ganhámos ao Benfica porque fomos mais competentes que um bom Benfica”, explicou.

Equipas prováveis

Benfica: Vlachodimos; Tavares, Ferro, Dias, Grimaldo; Samaris, Weigl, Pizzi, Taarabt; Rafa e Vinícius

Shakhtar: Pyatov; Bolbat, Kryvtsov, Matvienko, Ismaily; Stepanenko, Marlos, Kovalenko, Patrick, Taison; Moreaes

O árbitro

O encontro tem o pontapé de saída marcado para as 20h00 de Portugal continental, no Estádio da Luz, e será dirigido pelo conceituado árbitro holandês Björn Kuipers. Kuipers já dirigiu, no passado, cinco partidas do Benfica, que não venceu nenhum desses encontros (um empate e quatro derrotas). Já esta época o holandês apitou na deslocação das 'águias' ao terreno do Lyon, que terminou com uma derrota por 3-1 da formação portuguesa.

Benfica e Shakhtar entram em campo no Estádio da Luz a partir das 20h00. Poderá acompanhar tudo ao minuto no aqui, no SAPO DESPORTO.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.