O FC Porto desloca-se esta quarta-feira ao terreno dos franceses do Marselha, treinados pelo português André Villas-Boas, em jogo a contar para a 4ª jornada do grupo C da Liga dos Campeões. Esta manhã, Sérgio Conceição fez a antevisão ao encontro e admitiu que espera dificuldades em Marselha.

O jogo: "Eu acho que os seis jogos são competitivos e difíceis, este não foge à regra. O Marselha tem a última oportunidade de manter a chama viva e nós não podemos esquecer que se ganhar os jogos em atraso na liga é o primeiro classificado. Vamos ter dificuldades. Não estou a baixar a expetativa, mas a realidade é que nada está decisivo. O grupo é muito equilibrado. O importante é olhar para as coisas boas e menos boas que fizemos aqui, há coisas que temos de trabalhar para sermos mais consistentes, para nos aproximarmos das vitórias."

O histórico dos confrontos: "Não andamos ao sabor dos adeptos ou das equipas adversárias. Nós temos muita crença e acreditamos no nosso trabalho. Olhamos para um jogo muito importante e para um trajeto interessante que temos feito. Vamos a um país que está em dificuldade, como nós, frente a esta pandemia. É um jogo com uma atmosfera de Liga dos Campeões que é sempre fantástica. Queremos honrar o FC Porto."

Pepe: "Vai ser muito difícil, direi mesmo impossível, que jogue. Vai connosco, mas não está disponível."

Sérgio Oliveira: "Não gosto de individualizar. Ele faz parte dos titulares e da dinâmica da equipa. Está mais capaz em alguns momentos do jogo, é do trabalho diário e da vontade de melhorar. Trabalho com ele há uns anos e olhando para o jogador que trabalhou comigo em França é completamente diferente. É um jogador mais maduro e mais completo. O Sérgio neste momento está bem."

Gestão com a Taça: "Conto com todos em termos de jogo. Só onze é que podem jogar e o que eles demonstraram com o Fabril é que eu tenho opções válidas. A seriedade com que defrontamos uma equipa de um escalão inferior foi muita. Eles estão disponíveis para dar o seu contributo, mas sabem que não dá para jogarem todos. Fiquei extremamente agrado com a resposta dos jogadores nesse jogo."

Liga dos Campeões: "Esperava ter nove pontos ao fim de três jogos, independentemente das equipas que enfrentamos. Mas acho que estamos numa boa posição para passar aos oitavos. O resultado desse jogo pode ser muito importante nesse sentido."

Mbemba com perfil de Pepe para liderar: "São personalidades diferentes. O Mbemba é mais introvertido que o Pepe. Pode ser um líder, mas há uns que falam mais e outros que falam menos. Não que isso tenha a ver com liderança, mas há diferentes líderes em campo e nós precisamos de ter onze líderes em campo. Não há jogadores com mais ou menos estatuto, todos têm de mostrar capacidade de trabalho. O Pepe é um líder natural e um profissional fantástico."

Avançados: "Fazer golo é um trabalho de equipa. O nosso melhor marcador não é um avançado. Depende tudo do que é a dinâmica, posso jogar sem avançados e ter um caudal ofensivo maior. Mas claro que fico contente que os avançados marquem, mas isso não tem nada a ver com as minhas escolhas. Eu fico contente que eles ganhem. O trabalho é que influencia as minhas escolhas."

Dupla Taremi-Marega: "Nós jogámos até um determinado momento com um avançado como continuidade da época passada. Começámos agora a adotar tudo aquilo que foram os três anos de trabalho com a dinâmica do 4x4x2. Optei algumas vezes com o Marega e o Luis Diaz porque dão coisas diferentes. Nós queremos equilíbrio porque jogar em 4x4x2 não é o mesmo que 4x2x4. O treinador quer sempre uma equipa que ganhe jogos. É normal que os adeptos criem uma voz de preferência, mas cabe-me a mim decidir e acho que não tenho decidido mal porque em três anos fomos duas vezes campeões."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.