Fedor Smolov engrossou a longa lista de jogadores que furaram o isolamento obrigatório devido a pandemia de COVID-19. O jogador russo do Celta de Vigo devia estar em confinamento na sua residência em Espanha, como foi determinado pelo emblema de Vigo mas resolveu desobedecer as ordens e regressar ao seu país de origem.

O avançado de 30 anos justificou a sua decisão de deixar Espanha com o "fecho de fronteiras" e com a crise sanitária provocada pelo novo coronavírus,.

"Devido a situação atual e o fecho de fronteiras, fui obrigado a regressar à Rússia para estar mais perto da minha família. Estou muito agradecido ao Celta de Vigo pelo seu apoio e gostaria de deixar claro que informei o clube de todos os meus passos", frisou o jogador, citado pela Marca.

Smolov, que chegou à Galiza no período de transferências de Inverno, emprestado pelo Lokomotiv de Moscovo, já se tinha queixado nas redes sociais de ter de ficar em Espanha durante o período de confinamento ditado pelas autoridades locais devido ao novo coronavírus.

Segundo o diário Sport-Express, Smolov viajou num avião privado até uma nação vizinha da Rússia, para não violar a proibição de voos entre a Espanha e o seu país, seguindo posteriormente de automóvel até Moscovo.

Os representantes do avançado de 30 anos têm uma versão diferente sobre a fuga do jogador.

"Não há nenhum problema, o Fedor acordou todos os seus passos com o Celta. Quanto às multas, ficou decidido que só as pagará se voltar a Vigo atrasado", informou a ProSportsManagement que gere a carreira do jogador.

Mas o mesmo jornal garante que Smolov não informou o clube, pelo que agora está sob alçada disciplinar. Segundo o clube galego, o atleta pediu "por diversas vezes" autorização para se deslocar à Rússia por motivos pessoais, uma pretensão que lhe foi negada, porque a Liga espanhola "não autorizou", diz a Lusa.

Ainda assim, o conjunto da Liga espanhola assumiu o "compromisso de Smolov em voltar resolvidos os assuntos pessoais", sendo que, de qualquer forma, este seria "submetido à disciplina interna do clube".

O jornal italiano 'La Gazzetta dello Sport' adianta que os motivos para a fuga foram outras: Smolov furou a quarentena para estar com a sua namorada, María Yumasheva, que iria festejar o seu 18.º aniversário. María Yumasheva é neta de Boris Yeltsin, antigo presidente da Rússia, entretanto já falecido.

Smolov comprometeu-se a casar com María Yumasheva quando esta ainda era menor de idade. A relação entre os dois era secreta, até o avançado russo de 30 anos publicar uma fotografia de ambos nas redes sociais.

Este será o segundo casamento de Fedor Smolov, jogador que se separou de Victoria Lopyreva em 2015. Victoria Lopyreva é uma modelo de 36 anos, que foi Miss Russia em 2003. Atualmente é embaixadora da FIFA.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.