O Celta de Vigo, treinado pelo português Carlos Carvalhal, perdeu hoje em Villarreal, para a 32.ª jornada da Liga espanhola de futebol, mantendo-se no 13.º lugar do campeonato.

Quanto ao Villareal, consolida o quinto lugar, com 53 pontos, mais quatro do que o Betis, sexto, que foi goleado pelo Real Madrid no sábado, e a cinco da Real Sociedad, quarta.

No outro jogo do dia já realizado, o histórico Valência perdeu no reduto do Cádiz, por 2-1, e pode cair para a zona de despromoção, se o Getafe derrotar o Espanyol.

Carvalhal, após a vitória na ronda anterior, sobre o Elche, regressou às derrotas, mas esta não era preocupante: o resultado era expectável, já que o Villareal é das equipas mais fortes de Espanha.

Nicolas Jackson 'bisou' na partida, aos dois e 12 minutos, e assim 'arrumou' precocemente a partida. Strand Larsen (29) ainda reduziu, após o que o 'submarino amarelo' recolocou a diferença em dois golos, com o tento de Ramon Terratd (70).

Bastaram dois minutos no La Cerámica para que se gritasse golo, com o primeiro de Nico Jackson - uma perda de bola de Tapia permitiu ao Villareal lançar o contra-ataque e Nico Jackson marcou, frente a frente com o guarda-redes Villar.

O 2-0 nasceu de um passe longo de Lo Celso, com Nico Jackson a ser novamente eficaz na concretização.

Aos 16 minutos, grande penalidade para o Villareal, que Parejo falhou com um ‘Panenka' mal executado.

O Celta equilibrou o jogo e conseguiu mesmo reduzir, aos 29 minutos, com Strand Larsen a combinar com o ex-benfiquista Cervi e a marcar.

Na segunda parte, quando o Celta procurava chegar ao empate, foi o Villareal a fazer o 3-1, por Terrats. Um 'balde de água fria' para a melhor fase de jogo da equipa de Vigo.

O português Gonçalo Paciência entrou na equipa do Celta aos 79 minutos, para refrescar o ataque, mas já nada havia a fazer.

Carlos Carvalhal viu o cartão amarelo, por protestos.

Após duas vitórias, o Valência voltou a perder e com isso regressam as 'nuvens' da possível despromoção.

Na casa do Cádiz, marcaram para os locais o argentino Escalante, aos 39 minutos, e Sergi Guardiola, aos 46. O golo do Valência foi apontado pelo brasileiro Samuel Lino, ex-jogador do Gil Vicente (51).

O único português em jogo foi Thierry Correia, do Valência, que começou no banco e aos 71 minutos rendeu o francês Foulquier.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.