Luis Suárez está a ter um início de época muito difícil. O atacante uruguaio continua sem saber onde irá jogar em 2020/21, no dia em que se viu envolvido num alegado esquema fraudulento em Itália. As autoridades acreditam que o uruguaio terá tido acesso prévio às perguntas do teste para a obteção da cidadania italiana.

Segundo os indícios da investigação, que está a cargo da Guardia di Finanza de Perugia, Suárez poderá ter contado com ajuda para ser aprovado no teste, com conhecimento antes do exame das perguntas a que teria de responder, refere um comunicado.

O futebolista internacional uruguaio não estará a ser investigado, ao contrário da reitora da Universidade de Perugia, Giuliana Grego Bolli, e do diretor Simone Olivieri.

A imprensa transalpina revela que Stefania Spina, que tinha a responsabilidade de preparar o jogador uruguaio para o exame, disse que Luis Suárez não falava uma palavra de italiano, “não conjugava verbos” e “falava no infinitivo”.

A obtenção da nacionalidade italiana iria ajudar o atacante a arranjar clube em Itália, já que passaria a não contar como extracomunitário. Na Série A onde era apontado como possível de colega de Cristiano Ronaldo no ataque da Juventus.

Durante as férias, Suárez recebeu uma telefonema de Ronald Koeman, novo treinador do Barcelona a dar-lhe conta que não contava para o novo projeto do clube. Depois disso, terá falado com o presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, que lhe terá dito que não iria dificultar a sua saída. Diz o jornal 'Marca', que havia um acordo entre ambos para a rescisão amigável do contrato e que faltaria apenas oficializar a saída a custo zero.

Depois de gorada a transferência para a Juventus, Suárez chegou a acordo com o Atlético Madrid, permanecendo assim em Espanha. No emblema de Madrid, o avançado uruguaio iria assinar por duas épocas, a ganhar nove milhões de euros por temporada.

Quando Bartomeu percebeu que Suárez iria para os 'colchoneros', o presidente do Barcelona terá recuado e informado o jogador que, afinal, de teria de cumprir o seu contrato até ao fim.

O Atlético Madrid, que esperava receber o jogador a custo zero, já informou que não irá fazer qualquer oferta por Suárez. Ou seja, o uruguaio de 33 anos terá de cumprir o último ano do seu contrato com o Barcelona, até junho de 2021, a não ser que um clube queira pagar para a sua saída.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.