Um futebolista da Gâmbia, contratado pelo Hamburgo em 2016 e que continua no clube, foi hoje formalmente acusado pelas autoridades alemãs de usar uma identidade falsa e por ter violado as leis de imigração germânicas.

De acordo com o ministério público alemão, Bakery Jatta afinal chama-se Bakary Daffeh e é dois anos e meio velho que do que declarou quando entrou em território alemão, situação que lhe permitiu beneficiar da situação de criança refugiada sujeita a proteção legal adicional.

Jatta, que esta temporada leva 18 jogos pelo Hamburgo, emblema histórico do futebol alemão que está no segundo escalão, foi formalmente acusado de quatro violações da lei da imigração e do fornecimento de documentos falsos.

Os procuradores acrescentaram que o avançado jogou em vários clubes africanos com o nome de Daffeh e que, após chegar à Alemanha, alterou para o seu apelido para Jatta.

O jogador terá chegado ao país em 2015 sem passaporte e fez-se passar por menor de 18 anos, tendo ingressado meses depois nos escalos jovens do Hamburgo.

Entretanto, o advogado de Jatta pediu que o caso seja arquivado, visto que o jogador já “provou claramente a sua identidade”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.