Aurelio De Laurentiis deu uma entrevista ao jornal francês 'Le Parisiense', publicada esta quarta-feira. O presidente do Nápoles fala do estado do futebol atual, dos organismos que tutelam o desporto-rei e dos "jogos aborrecidos".

"O futebol é uma indústria importante. Sem os travões da FIFA e da UEFA, que remontam à antiguidade, teria ainda mais valor. Temos de olhar para o futuro, porque os jovens estão colados aos videojogos. Nós estamos a afundar-nos agora mesmo. Estamos a destruir o futebol. Em oito anos, os rapazes recém-nascidos não vão querer saber do futebol para nada", começou por dizer.

Sobre os responsáveis dessa situação, De Laurentiis não hesita na resposta."A culpa é nossa, somos velhos idiotas. Há jogos aborrecidos. Os jogos de futebol são demasiado longos, tu acabas por adormecer. Tens que jogar duas partes de 30 minutos, com um descanso de dois ou três em cada uma das partes. Se não para que serve o treinador? Nem todos são como o Ancelotti", referiu.

Quanto às opções para mudar o futebol, De Laurentiis diz que "temos de mudar tudo", deixando de seguida uma pergunta no ar: "Por que é que a Europa não funciona?", à qual responde: "Deveria ser a Europa de Inglaterra, França, Itália, Alemanha e Espanha. Ponto. O mesmo para o futebol".

"Se fazes um campeonato de cinco nações em vez da Liga dos Campeões, com os quatro melhores de cada campeonato, saem 20 equipas. Apenas se faria um único jogo, sem ir e vir. O sorteio simplesmente indicaria se o jogo era em casa ou fora. Às terças, quartas e quintas jogar-se-ia esta competição. Sábado, domingo e segunda-feira, competir-se-ia nos campeonatos nacionais", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.