A seleção portuguesa de futebol feminino quer vencer um “desafio muito difícil” com a Finlândia, na terça-feira, na segunda jornada da qualificação para o Euro2021, em encontro marcado para Vila Nova de Famalicão, Braga.

“Será um desafio muito difícil para nós, mas queremos conquistar os três pontos neste primeiro jogo de qualificação em casa”, disse o selecionador, Francisco Neto, na antevisão da partida frente às finlandesas.

Sobre o adversário, o técnico vê um futebol “mais físico, direto e aéreo”, mas que não abdica de tentar, “em alguns momentos, ter bola e dominar os jogos”, num país onde o futebol feminino tem crescido, avisou.

O jogo, marcado para as 18:30 no Estádio Municipal de Famalicão, será o segundo para Portugal, mas o quarto para a Finlândia, que já venceu a Albânia, por duas vezes, e Chipre.

“Nós fizemos um e também ganhámos [1-0 na Albânia]. Estamos tranquilos em relação a isso [o calendário]. Em setembro do próximo ano é que as contas irão fazer a diferença”, acrescentou.

A capitã da equipa lusa, Cláudia Neto, marcou três golos na última vitória portuguesa frente às finlandesas, em 2016, depois de terem estado a perder por 2-0, e é um traço de “atitude e solidariedade” que pede para repetir a façanha.

A jogadora do Wolfsburgo destacou “uma excelente semana de treinos” da concentração da equipa das ‘quinas’, preparando um jogo com a 30.ª classificada do ‘ranking’ FIFA, que teve, também, a presença de uma equipa de futebol composta por jogadoras entre os 10 e os 18 anos.

O grupo, de etnia cigana e proveniente do bairro social de Santa Tecla, em Braga, participa no projeto Geração Tecla E7G, da Cruz Vermelha de Braga, um programa de inclusão social, com Dayana Rodrigues a apelidar o momento de “uma felicidade enorme” que dá “vontade de continuar a jogar”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.