O novo treinador da equipa de futebol feminino do Benfica, Luís Andrade, quer “conquistar todas as competições” que o clube lisboeta vai disputar em 2019/20, mas advertiu que o “passeio” da última época não se deverá repetir.

“Os objetivos são conquistar todas as competições em que o Benfica esteja presente. Sabemos que não vai ser fácil, porque do outro lado também estão equipas muito competentes, e que também trabalham arduamente para conseguir os seus objetivos”, disse Luís Andrade à agência Lusa, confidenciando: “Trabalhar neste clube é algo que me inspira”.

Na temporada passada, sob o comando de João Marques – ao qual Luís Andrade vai suceder -, o Benfica sagrou-se campeão da segunda divisão feminina e foi promovido ao escalão principal, com um saldo de 27 vitórias e um empate (365-1 em golos marcados e sofridos), tendo ainda conquistado a Taça de Portugal.

“A primeira liga é muito mais competitiva. Não podemos estar obcecados por goleadas. Estamos obcecados é pelo trabalho e o empenho das nossas atletas em conseguir os nossos objetivos. Se ganhamos por dois, três ou quatro é coisa com que não estamos preocupados. (...) Temos jogadoras muito inteligentes e que sabem perfeitamente que a liga principal é muito mais competitiva”, observou.

O antigo futebolista, que chegou a representar o Benfica, mas nunca se sagrou campeão pelos ‘encarnados’, assinalou que o clube se está a reforçar com o propósito de construir “uma equipa muito mais competitiva”, capaz de “jogar uma liga de igual para igual com o Sporting e o Sporting de Braga”.

“No ano passado, os fortes candidatos ao título eram o Sporting de Braga e o Sporting e este ano junta-se o Benfica. Mas nunca desvalorizando as outras equipas. (...) Todo o cuidado é pouco e sabemos que em cada jogo vamos enfrentar um adversário difícil e complicado”, defendeu.

Para que isso aconteça, Luís Andrade, de 45 anos, pretende “seguir as pegadas do [centro de estágio do] Seixal”, através de uma aposta mais declarada em jogadoras provenientes dos escalões de formação, com o objetivo de tornar o futebol feminino do Benfica “tão forte quanto o masculino”.

“A entrada do Benfica veio mexer com o futebol feminino. Não nos podemos esquecer que o Benfica entrou este ano e conseguiu conquistar todos os títulos, desde a formação ao escalão superior”, lembrou, atribuindo “grande mérito” à estrutura do futebol feminino, na qual se incluía.

Luís Andrade defendeu que a evolução do futebol feminino português será mais rápida quanto mais rápida for a adesão de “nomes sonantes do futebol masculino”, considerando que seria “interessante” a adesão do FC Porto, mas apenas se fosse extensível aos escalões de formação.

“O futebol masculino também esteve muitos anos sem conquistar nada. Isso [a conquista de títulos], deve-se à formação. É o que está a acontecer no futebol feminino. A própria formação vai dar frutos num futuro breve, talvez daqui a três, quatro anos. Com o trabalho que se está a fazer na formação, tenho a certeza de que a nossa seleção vai ser muito mais capaz de conseguir os objetivos”, afirmou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.