A Federação de Futebol dos Estados Unidos revelou hoje que as jogadoras da sua seleção foram mais bem pagas que os homens, analisando o período que vai de 2010 a 2018.

Em carta assinada pelo presidente da US Soccer, Carlos Cordeiro, a federação diz que pagou às mulheres 34,1 milhões de dólares (cerca de 30,6 milhões de euros) em salários e bónus, enquanto os homens se ficaram pelos 26,4 milhões (cerca de 22,7 milhões de euros).

A US Soccer refere ainda, por outro lado, que foram as seleções masculinas que geraram mais receitas, com 185,7 milhões em 191 jogos, contra 101,3 milhões em 238 jogos.

Esta posição da federação vem no seguimento da contestação pública das jogadoras que conquistaram o Mundial disputado em França. Já em março tinham avançado com um processo na justiça federal por 'descriminação de género institucionalizada', o que incluía compensações monetárias desiguais.

Entretanto, as duas partes aceitaram a mediação para resolver o diferendo, sem que se chegue a julgamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.