Portugal goleou, esta quinta-feira, a seleção da Lituânia (6-0) e está a um triunfo de selar a qualificação para o Euro 2020.

3 partidas, três triunfos: 14 golos marcados, contra três sofridos. Vinha aí a Lituânia. 5.º classificado do grupo B de qualificação, com sete pontos. Papão? Muito longe disso.

A Portugal impunha-se uma vitória gorda e convincente para animar as hostes e arrumar se possível o assunto da qualificação. [Precisava que a Sérvia não vencesse a sua partida].

Apesar de tudo o que fez até ao momento no futebol, na última semana, mais uma vez vieram colocar em causa um dos melhores de todos os tempos. Ronaldo, voltou a ser Ronaldo e deu a resposta em campo. Ele que o faz tão bem em momentos de pressão.

A Lituânia não dificultou em nada a vida à equipa das quinas, na seleção claramente mais fraca do grupo, e com uma qualidade individual muito inferior em relação à equipa portuguesa.

Na primeira parte foi o que se viu: 7 remates à baliza da equipa portuguesa contra nenhum da Lituânia.

Ronaldo e mais 10 magníficos começaram o jogo endiabrados: Pizzi, Gonçalo Paciência, Mário Rui e Rúben Neves foram apostas no onze, num aparente 4-3-3, com Bernardo, Paciência e Ronaldo.

A partida começou retumbante, num frio 'estranho' no eterno Algarve do sol.

Logo aos sete minutos, penalti para Portugal. Mikolinas derrubou CR7, na conversão o jogador português converteu como só ele sabe o castigo máximo.

Através de movimentações e dinâmicas muitas interessantes, Portugal ia desmontando a organização dos visitantes. Se lhe dissermos que aos 25 minutos a equipa de Fernando Santos poderia estar a ganhar por 4-0 não era exagero nenhum.

Depois de fazer o seu, CR7 quis ser padrinho da estreia a marcar para Gonçalo Paciência. Mário Rui também. Tentou oferecer o golo ao filho de Domingos, mas impediu Setkus, com uma grande defesa.

Era um autêntico tiro ao boneco, com Lituânia a tentar limitar os estragos.

Ao minuto 22´, Ronaldo chegava ao golo 97 com a camisola da seleção e que golo. Foi Paciência a assistir para o pontapé triunfante do capitão.

Mas Ronaldo não só marcava como servia de bandeja. Ao minuto 30´, serviu com perfume, de ombro, para Gonçalo Paciência atirar por cima. 'Vai buscar Capello'.

Chegou o intervalo. Mas Portugal não perdeu a fome e manteve a dinâmica.

Aos 52´, dilatou o resultado e chegou a um redondo 3-0. Pizzi disparou fortíssimo, com a bola a bater no ferro antes de entrar, depois de assistido por Bruno Fernandes.

Aos 56´, deu-se um momento mágico. Chegava à goleada Portugal, e era a estreia de Paciência a marcar. Bernardo rematou em jeito de cruzamento, Setkus largou para a frente a na recarga o avançado do Frankfurt fez pela primeira vez o gosto ao pé com a camisola das quinas.

Um dos melhores em campo também teve a possibilidade de ver coroada a sua exibição. Ricardo serviu Bernardo Silva que num remate algo enrolado dilatou o resultado para a mão cheia.

Se o capitão foi provocado, pela imprensa, por treinadores, foi a Sérvia quem pagou. Hat-trick do capitão, e golo 98 da seleção (65´). Bernardo serviu o capitão, que desfeiteou o guarda-redes adversário com um remate cruzado. 'Shiu!', disse com o golo, numa metáfora, o capitão.

Se Portugal estava matador, penosa era a réplica da Lituânia, sem organização e em completo desespero para não sofrer mais golos.

Conseguiu um livre ao minuto 74´, e pouco depois um canto. E foram assim praticamente as tentativas de ataque dos lituanos.

Deu ainda para a estreia de Diego Jota com a camisola das quinas, por troca com o capitão.

E fechou assim o resultado. Portugal está a um pequeno passo de marcar presença no Europeu do próximo ano. Basta somar os três pontos frente ao Luxemburgo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.