Portugal está no Europeu de 2020, onde vai poder defender o título conquistado em Paris em 2016! A equipa das quinas venceu por 2-0 no Luxemburgo, na última ronda do Grupo B, tendo conseguido o apuramento ainda antes do final da partida, face ao empate da Sérvia.

Bruno Fernandes, aos 39 minutos, e Cristiano Ronaldo, aos 86', apontaram os tentos da formação das ‘quinas’, que vai marcar presença no Europeu pela oitava vez, e sétima consecutiva, desde 1996.

Com três novidades no onze em relação ao jogo com a Lituânia - ficaram de fora Mário Rui, Rúben Neves e Gonçalo Paciência, entrando Raphael Guerreiro, Danilo e André Silva - Portugal não teve tarefa fácil para ultrapassar o Luxemburgo.

O primeiro aviso, aliás, veio da equipa da casa, aos seis minutos, com Maurice Deville a cabecear ao lado da baliza de Rui Patrício, depois de um cruzamento na direita. A equipa das quinas respondeu através de Ronaldo, a rematar forte para defesa de Moris.

O Luxemburgo, mesmo com menos bola, limitava muito a manobra ofensiva de Portugal, e foi criando calafrios na área lusa. Aos 15' Vincent Thill rematou com muito perigo e valeu o corte de Rúben Dias, que estava no sítio certo, e aos 25' foi a vez de Gerson Rodrigues cabecear por cima.

A equipa das quinas continuava à procura do golo que lhe desse alguma tranquilidade, até porque a Sérvia vencia a Ucrânia por esta altura. Ronaldo tentou a sorte aos 27' e aos 30', mas sem sucesso, Pizzi tentou o remate em jeito (32'), mas por cima da baliza de Moris.

Já depois de a Ucrânia empatar na Sérvia, Portugal chegou ao golo através de Bruno Fernandes, aos 39 minutos: passe magistral de Bernardo, ainda no meio-campo de Portugal, com o médio do Sporting a surgir nas costas da defesa contrária, a dominar muito bem e a atirar com o pé direito para o fundo da baliza. Foi o segundo golo de Bruno Fernandes pela Seleção, o primeiro na fase de qualificação.

A Seleção chegava ao intervalo com razões de queixa do relvado, mas a jogar de forma previsível e com a tarefa bastante dificultada por um surpreendente Luxemburgo.

A segunda parte arrancou com uma boa oportunidade para a equipa das quinas, com José Fonte (51') a cabecear muito perto do poste, na sequência de um canto de Pizzi. Logo a seguir, um remate da esquerda, em arco, de Gerson mostrava que o Luxemburgo não ia entregar os três pontos de bandeja a Portugal.

A Sérvia voltava a colocar-se em vantagem frente à Ucrânia, o que deixava os comandados de Fernando Santos a precisar ainda mais de um golo para poderem respirar de alívio.

O técnico português tirou Pizzi à passagem da hora de jogo e, mais tarde, André Silva, fazendo entrar João Moutinho e Diogo Jota. No entanto, o golo só chegou na reta final da partida, através do suspeito do costume: cruzamento de Bernardo pela direita à procura de Diogo Jota, que ganhou na dividida e rematou enrolado à saída do guarda-redes, com Ronaldo a confirmar sobre a linha de golo. O capitão chegava aos 99 golos pela equipa das quinas, e deixava Portugal a respirar de alívio, até porque a Ucrânia voltava a empatar na Sérvia. Habemus Europeu!

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.