Cerca de 60 clubes dos escalões mais baixos de Inglaterra podem fechar portas no próximo ano, devido ao impacto da COVID-19 no futebol. O alerta é de Phil Hodgkinson, dono do Huddersfield Town, emblema que ocupa o 18.º posto do Championship, o segundo escalão do futebol inglês.

Os clubes do Championship receberam autorização para voltar aos treinos em pequenos grupos a partir desta segunda-feira, na esperança de se completar o que resta da época, mesmo que seja à porta fechada.

"O problema não é se terminamos esta época ou não, é o que irá acontecer depois", alertou Hodgkinson, em declarações à BBC.

O dono do Huddersfield Town sublinhou que, mesmo que a próxima época regresse com jogos a porta fechada, os clubes vão passar dificuldades já que deixarão de ter acesso à sua principal fonte de rendimento: a bilheteira. Phil Hodgkinson alertou ainda que os clubes já estão a fazer gastos que não estavam previstos, como testes de COVID-19 a jogadores, técnicos e staff  do clube.

"Existe uma probabilidade absolutamente real de que, se não chegarmos a um acordo agora sobre o futebol para garantir que todos os clubes possam pagar as suas contas e chegar ao ponto em que entrará dinheiro, 50 ou 60 clubes deixando de existir. Se não chegarmos a um acordo, não haverá a tal pirâmide no futebol. Sei que há clubes que só conseguem manter a atividade porque estão a adiar o pagamento de salários, impostos e o pagamento a credores", disse Hodgkinson.

O dono do Huddersfield Town, emblema que luta para não cair no terceiro escalão do futebol inglês, sugere cortes entre os 30 e os 50 por cento no salário dos jogadores até que seja possível jogar com público nas bancadas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.