Depois de 120 minutos sem golos, a Guiné Equatorial foi mais feliz no desempate por penáltis e passou aos quartos-de-final, onde vai defrontar o Senegal.

O Mali, nona seleção africana, foi sempre melhor do que a Guiné Equatorial, 28.ª, porém, raramente revelou o melhor discernimento na finalização, ante um rival pouco audaz e que foi abusando do físico para ir mantendo o nulo, superiorizando-se, unicamente, na segunda parte do prolongamento.

A decisão segui para os penáltis e na primeira série de penáltis a Guiné Equatorial desperdiçou uma possibilidade para sentenciar, algo que acabou por conseguir na fase de ‘morte súbita’, com o defesa do Vitória de Guimarães, Falaye Sacko, a não conseguir bater o guarda-redes, ao 16.º pontapé da marca dos 11 metros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.