A direcção da Associação Desportiva Relâmpago recebeu “com agrado e sem surpresa” o cancelamento das competições desportivas em Cabo Verde, por entender ser a melhor forma de proteger os atletas, nesta luta contra o novo coronavírus (covid-19).

Em declaração à Inforpress, a presidente Sabina Fortes afirmou que já contava com esta posição, ainda que considere “lamentável” o facto de muitos jovens ficarem privados da prática desportiva, “numa das fases mais importantes dos atletas” nestas faixas etárias.

Disse que a prática do desporto tem sido uma alternativa “muito importante e útil” para os jovens face às suas vulnerabilidades o que lhes impede de vidas alheias como o uso do álcool e droga, mas que “de momento não existe outra solução” senão cancelar as competições desportivas, para salvaguardar a saúde pública.

“Para a direcção do Relâmpago, este cancelamento não foi qualquer surpresa para nós. Já estávamos à espera disto. Somos uma agremiação jovem, com muitas ideias construtivas, raramente pensamos em ideias negativas na nossa direcção, pelo que aceitamos com normalidade esta decisão”, explicou.

Afiançou que a sua colectividade trabalha no campo social, designadamente em feiras de saúde, pelo que atribui uma importância à saúde e aproveitou a ocasião para manifestar o seu agradecimento aos atletas, simpatizantes e sobretudo os técnicos Odair “Dá” e Sousa, pela determinação em “dar a vota por cima”.

Aos jovens atletas, rendeu-lhes uma homenagem, alegando que souberam respeitar a camisola com entrega desde os treinos às 05:00 da manhã, deslocando-se de localidades como Pensamento, Calabaceira e São Martinho para Várzea, ressalvando que a direcção soube privilegiar estes esforços com os “poucos meios que dispõe”.

Quanto ao modelo de futebol em Santiago Sul, Sabina Fortes elogiou a gestão do presidente Mário “Donnay” Avelino, mas mostrou-se crítica pela postura dos dirigentes na constituição dos planteis à base da “compra” dos atletas, o que faz com que uns ficam com excedentes de atletas, sub-valorizados, quando podiam perfeitamente destacar-se em outras equipas.

Nesta óptica, exortou à união dos clubes e uma melhor planificação para o engrandecimento do futebol, tendo mesmo exemplificado que a sua direcção prefere apostar na formação (profissional e universitário) dos atletas em vez de colocar-lhes “dinheiro em mãos”.

O Governo e as federações desportivas cabo-verdianas decidiram “por unanimidade”, esta sexta-feira pelo cancelamento de todas as competições desportivas, no plano nacional e internacional, referente à temporada 2019/20, como medida de segurança sanitária dos agentes desportivos, particularmente dos atletas.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.