O futebolista espanhol Marc Bartra desmentiu hoje que tenha pesadelos com o atentado de Dortmund, em que ficou ferido num braço, e disse que, pelo contrário, se sente “mais forte”.

“Após tudo o que se passou, sinto-me mais forte, e se o ataque não me fez mal, nada poderá fazer. O ataque mudou a minha vida, porque agora me sinto muito mais forte”, escreveu o jogador na rede social Twitter.

Bartra pediu respeito à imprensa, no dia em que foi lida uma declaração sua em tribunal, pelo advogado do Borussia Dortmund, Alfons Becker.

“Eu não me sinto bem quando me lembro do atentado. Tive medo de morrer e de não voltar a ver a minha família”, foram as palavras vindas a público.

Segundo a imprensa, o defesa deveria ter testemunhado hoje em tribunal, mas terá optado pela declaração quando soube que o alegado autor do atentado estaria presente na sala de audiência.

Na nota, no Twitter, o jogador desmente ainda que não tenha ultrapassado o sucedido em 11 de abril de 2017 e que teria pesadelos.

O suposto autor do atentado, Sergei W., é acusado de 28 tentativas de homicídio e de provocar ferimentos pessoais.

O atentado ocorreu quando o autocarro do Dortmund se deslocava do hotel para o estádio, para jogar a primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões de 2016/17, contra os franceses do Mónaco, do treinador português Leonardo Jardim.

Marc Bartra, com ferimentos num pulso, provocados por fragmentos de vidro, e um motociclista da escolta policial, com os tímpanos danificados pelo sopro da explosão, ficaram feridos no atentado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.