O Palmeiras soma e segue no Brasileirão depois de ter reforçado a liderança com a vitória sobre o Atlético Goianense por 4-2.

Mas no final da partida, Jorginho, timoneiro da equipa visitante, teve como alvo Abel Ferreira, pela forma como no seu entender não respeitou os árbitros do encontro.

"Lamento muito o que aconteceu no jogo, houve uma discussão minha e do meu auxiliar com as pessoas do Palmeiras. Respeito o árbitro, mas eles não o respeitaram, apelidaram-no de cego. Ele bateu palmas ao árbitro e não aconteceu nada. Relatei o sucedido. O meu auxiliar viu um cartão, o auxiliar deles também, mas quem deveria ter sido expulso era o Abel. Não seria a primeira vez", disse.

"Respeito-o como treinador, tem feito um grande trabalho, está de parabéns por ser bicampeão da Libertadores. Mas tem de existir respeito para comigo, para com a minha equipa e com o árbitro. Pedimos uma punição severa e isso não aconteceu. O quarto árbitro não relatou ao árbitro o que o Abel fez. Não pode acontecer esta falta de respeito para com o árbitro e com a minha equipa", prosseguiu.

"Não é à toa que ele e toda a equipa técnica são expulsos constantemente. Bater palmas ao árbitro. Revolta-me como treinador, brasileiro, ele vem para o nosso país e está a desrespeitá-lo. Apelidou o árbitro de cego e nada aconteceu", acrescentou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.