Do total dos novos casos de contágio, 3.387 (9%) são doentes assintomáticos.

De acordo com a última contagem, o maior aumento do número de infeções ocorreu em Moscovo (7.778), região de Moscovo (3.127) e São Petersburgo (2.693).

Moscovo regista o maior número de mortes, nas últimas 24 horas, por covid-19: 83 mortes, seguindo-se São Petersburgo com 65 vítimas mortais e a região de Nizhni Novgorod com 43 óbitos, nas últimas 24 horas. 

Desde o início da crise sanitária morreram 231.669 pessoas de covid-19 na Rússia, apesar de os especialistas acreditarem que o número pode ser três vezes superior.

Nas 85 regiões do país contabilizam-se, no total, 8.279.53 contágios desde o começo da pandemia. 

Em algumas regiões do país a situação pandémica relacionada com o novo coronavírus está a preocupar seriamente as autoridades sanitárias.

Na região de Voronezh, as autoridades oficiais alertaram hoje que 7.289 camas, das oito mil existentes, estão ocupadas, o que significa uma taxa de ocupação de 93%.

A menos de uma semana das "férias forçadas" decretadas em todo o país, o Presidente russo, Vladimir Putin, ordenou às autoridades regionais o reforço das restrições e cuidados em relação ao cumprimento das normas de segurança, no sentido de se travar o aumento de contágios. 

As autoridades locais devem fazer cumprir o uso de máscaras faciais de proteção sanitária e o cumprimento das regras de distanciamento em todos os tipos de transporte, além de garantir a desinfeção dos transportes públicos. 

As autoridades locais devem apresentar um relatório sobre a situação ao chefe de Estado até ao dia 30 de novembro.

Putin ordenou ainda o aumento do processo de vacinação e da realização de testes médicos (PCR) em especial junto da população com mais de 60 anos e com doenças crónicas.

O chefe de Estado propôs oferecer dois dias livres e pagos aos trabalhadores que decidam vacinar-se contra a covid-19.

Na Rússia vacinaram-se até ao momento 46,7 milhões de pessoas com as duas doses, o que corresponde a 31,9% da população total composta por 144 milhões de habitantes. 

A Rússia é o quinto país do mundo com mais casos de covid-19, depois dos Estados Unidos, Índia, Brasil e Reino Unido.

A covid-19 provocou pelo menos 4.941.032 mortes em todo o mundo, entre mais de 243,27 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse, divulgado na sexta-feira.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

PSP // FPA

Lusa/fim

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.