Em declarações difundidas pela assessoria de imprensa da KTM, Miguel Oliveira garantiu ter “tentado o melhor na qualificação para entender as condições tão depressa quanto possível”, mas que não se sentia “rápido o suficiente para trocar para pneus lisos”.

“Foi difícil avaliar a aderência e perceber se iria chover novamente. [Por isso] foi uma sessão complicada e precisava de mais uma volta porque tinha potencial para a Q2”, declarou o piloto luso.

Oliveira parte, assim, da 15.ª posição, e tem “esperança” numa boa corrida, pois sentiu que teve “uma grande terceira sessão de treinos livres”.

Para domingo, há possibilidade de chover.

“As condições poder ser bastante diferentes [das de hoje], pelo que temos de analisar cuidadosamente e decidir o que fazer, pois pode ser decisivo no resultado da corrida”, concluiu Miguel Oliveira.

O italiano Fábio DiGiannantonio (Ducati) conquistou a primeira ‘pole position’ da sua carreira, batendo o compatriota Marco Bezzecchi (Ducati) por 0,088 segundos. O também transalpino Luca Marini (Ducati) foi o terceiro, a 0,171.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.