O tenista espanhol Rafael Nadal, 13 vezes vencedor de Roland Garros, estreou-se com uma vitória clara em Paris, assim como o campeão em título Novak Djokovic e a número 1 mundial Iga Swiatek, enquanto Barbora Krejecikova caiu.

Num dia em que a chuva interrompeu a jornada em todos os ‘courts’ exteriores, o esquerdino de Manacor, número cinco do mundo, apresentou-se no pó de tijolo do Philippe Chatrier aparentemente sem limitações ou dores no pé esquerdo, que o haviam afetado no Masters 1.000 de Roma, e impôs-se sem dificuldade ante o australiano Jordan Thompson (82.º ATP), por triplo 6-2.

Graças à exibição inaugural, o rei da terra batida, de 35 anos, é agora o tenista com mais triunfos num ‘major’, ao contabilizar a 106.ª vitória em 109 encontros disputados em Roland Garros - só perdeu para Robin Soderling em 2009 e Djokovic em 2015 e 2021 -, somando ainda a 299.ª vitória em torneios do Grand Slam.

“É um bom começo, obviamente. Durante algum tempo, joguei bem, mas houve coisas que podia ter feito melhor e tenho de melhorar. Mas, foi um início positivo e isso dá-me a hipótese de ter mais um treino amanhã [terça-feira] e outra chance no dia seguinte”, comentou Nadal, após duas horas e dois minutos no ‘court’ central.

Na próxima fase, o recordista de títulos do Grand Slam, com 21 no seu palmarés, medirá forças com Corentin Moutet (123.º), o jovem jogador da casa, de 23 anos, que recebeu um ‘wild card’ para o quadro principal e hoje afastou o suíço e campeão do torneio francês de 2015, Stan Wawrinka, pelos parciais de 2-6, 6-3, 7-6 (7-2) e 6-3.

Assim como Nadal, o sérvio e líder do ‘ranking’ mundial, Novak Djokovic, confirmou o seu favoritismo, ao encerrar a sessão noturna com uma vitória expressiva sobre o japonês Yoshihito Nishioka (99.º), eliminado ao fim de três ‘sets’, por 6-3, 6-1 e 6-0, e uma hora e 58 minutos.

Na segunda ronda, o campeão de 20 torneios do Grand Slam, de 35 anos, vai ter como adversário o vencedor do embate entre o eslovaco Alex Molcan (38.º), a estrear-se na ‘catedral’ da terra batida, e o argentino Federico Coria (54.º).

Na competição feminina, a jornada ficou marcada pela derrota inesperada da campeã em título, a checa Barbora Krejcikoca, diante da jovem francesa Diane Parry (97.ª WTA), de 19 anos, que conseguiu levar a melhor em três partidas, pelos parciais de 1-6, 6-2 e 6-3.

“Quando estava na escola, quando a minha mãe me levava à escola, via todos os dias o estádio de Roland Garros. Para mim era um sonho jogar aqui um dia. Joguei e ganhei, por isso é maravilhoso. Hoje, realizou-se um sonho perante uma bela assistência”, confessou a gaulesa, após afastar a número dois mundial, fisicamente em baixo de forma, após uma ausência prolongada dos ‘courts’, devido a uma lesão no cotovelo.

Já a polaca Iga Swiatek, líder da hierarquia mundial, não deu qualquer esperança à ‘qualifier’ ucraniana Lesia Tsurenko (119.ª), ao fechar o desafio da ronda inaugural em apenas 54 minutos, com os parciais de 6-2 e 6-0, alcançando, assim, o seu 29.º triunfo consecutivo.

Osaka afastada na primeira ronda de Roland Garros no regresso após polémica
Osaka afastada na primeira ronda de Roland Garros no regresso após polémica
Ver artigo

Enquanto a campeã de Roland Garros de 2020 marcou encontro na segunda fase com a norte-americana Alison Riske, Amanda Anisimova despachou a japonesa Naomi Osaka, bicampeã do Open da Austrália (2019 e 2021) e do Open dos Estados Unidos (2018 e 2020), por 7-5 e 6-4, tendo agora um duelo agendado com a croata Donna Vekic.

Anett Kontaveit, por sua vez, não conseguiu valer o seu estatuto de número cinco mundial sobre a australiana Ajla Tomljanovic (42.ª) e acabou derrotada em dois ‘sets’, por 7-6 (7-5) e 7-5.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.