Técnico e Belenenses discutem hoje a Supertaça de râguebi, nas Caldas da Rainha, num ano em que não haverá lugar à entrega dos habituais prémios anuais da Federação Portuguesa de Râguebi (FPR), ainda devido à covid-19.

O feriado de 05 de outubro é, por tradição, o dia do râguebi português, no qual, além do ‘tira teimas’ entre o campeão nacional e o vencedor da Taça, acontece a entrega de prémios anuais da modalidade, o que não se verifica este ano “por causa da covid-19”, confirmou à agência Lusa o presidente da FPR.

“Não houve uma competição normal e vários escalões não jogaram, excetuando os seniores. É uma questão de princípio, não seria justo para os outros escalões, porque não tiveram competição. Este ano também não seria aconselhável a realização de cerimónias sociais, portanto vamos concentrar-nos para voltar a ter uma época mais dentro da normalidade”, justificou Carlos Amado da Silva.

Prémios à parte, as duas equipas estão focadas no jogo de terça-feira, garantiram os treinadores de Técnico e Belenenses, numa conferência de imprensa da qual os órgãos de comunicação social foram informados apenas cerca de uma hora antes do início e onde não esteve presente qualquer jornalista.

Uma gravação das declarações dos treinadores foi, no entanto, disponibilizada no site da RugbyTV, da responsabilidade da FPR.

Nuno Martins, treinador-adjunto do Técnico, lembrou que, por ter havido jogos no sábado, “houve pouco tempo para preparar” o encontro da Supertaça, mas admitiu que esse é “um trabalho que tem vindo a ser feito desde a pré-época”.

“O último jogo contra o Belenenses não correu tão bem, mas para todos os efeitos vai ser o campeão nacional a jogar contra o vencedor da Taça de Portugal e esse poderá ser um fator-chave para a vitória cair para o Técnico”, admitiu o assistente do neozelandês Kane Hancy.

Pelo lado do Belenenses, o treinador João Mirra voltou a dar os “parabéns ao Técnico” pelo título de campeão nacional conquistado na época passada e explicou que a sua equipa “voltou um pouco atrás nestes dois anos, por causa da covid-19”, mas prometeu uma reação imediata.

“Desfocámos da nossa essência, mas avançámos enquanto equipa, no sentido de nos focarmos em nós próprios, pouco nos árbitros e na equipa adversária. Focamos no que controlamos em 99%, que é a nossa eficácia enquanto equipa”, frisou o treinador dos ‘azuis’.

O Técnico e o Belenenses disputam na terça-feira a 33.ª edição da Supertaça de râguebi, em partida marcada para as 15:00 no Complexo Municipal das Caldas da Rainha.

Os ‘engenheiros’, campeões nacionais ao fim de 27 anos, procuram o seu segundo troféu, que conquistaram pela única vez em 1994, na última vez em que tinham vencido o campeonato.

Já os ‘azuis’ entram em campo com o objetivo de conquistar a Supertaça pela sexta vez e ‘descolar’ dos mesmos cinco títulos de Cascais e Agronomia, além de encurtar a distância para os 11 do Direito.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.