As portuguesas Beatriz Gonçalves e Cheila Vieira encaram o campeonato da Europa de natação artística com o objetivo de tentar “chegar perto das finais”, a caminho do apuramento para os Jogos Olímpicos Tóquio2020.

As expectativas, explicou à Lusa a selecionadora nacional, Sylvia Hernández, “são de melhorar o 17.º” lugar no dueto técnico dos Europeus de Glasgow, de 2018, a anterior referência na prova.

“O objetivo agora seria chegar perto das finais, a que acedem as 12 primeiras. Se ficarmos em 13.º ou 14.º, já seria uma boa melhoria, e significaria ultrapassar países como a Eslováquia, que estiveram nos Jogos do Rio2016”, acrescentou.

A dupla estará na Duna Arena a lutar por finais, até 14 de maio, e a procurar bater uma série de equipas, como forma de “avaliar o nível” a caminho da derradeira prova de qualificação para Tóquio2020, o ‘sonho’ de ambas.

A possibilidade de “dar motivação” e criar “objetivos competitivos” é outro fator importante, porque a equipa enfrentou sucessivos adiamentos de prova, treinos ‘a seco’, e períodos em que os treinos eram feitos no vazio de competição.

“Foi mais do que complicado. Manter a motivação para treinarem oito horas por dia, tanto tempo, sem objetivos... quase tivemos de recorrer a psicólogos”, brincou a selecionadora.

Nesse tempo, foram encontradas “motivações externas para conseguir dar um bocadinho mais”, reduzindo a carga de treinos e fazendo trabalho mais motivacional.

Outra decisão tomada neste tempo foi a de “aumentar a dificuldade das coreografias”, com uma surpresa prometida.

“Fizemos pesquisa em acrobacias e vamos surpreender nessa parte, e temos uma entrada espetacular no dueto livre”, garantiu.

Cheila Vieira e Maria Beatriz Gonçalves interromperam o estágio permanente que cumpriam em Lagos desde janeiro de 2019 em 13 de março do ano passado, devido à pandemia de covid-19, voltando em junho desse ano.

As lisboetas iniciaram-se há 15 anos na então conhecida como natação sincronizada (em 2017 passou a ser designada por artística) e já disputaram dois Europeus e outros tantos Mundiais, o último dos quais em julho de 2019, quando conseguiram a melhor pontuação de sempre para Portugal (76,2328 pontos), em Gwangju, na Coreia do Sul.

As portuguesas aguardam a realização da derradeira prova de apuramento para as competições de natação artística para Tóquio2020, marcado para Barcelona em junho.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.