O piloto português Miguel Oliveira revelou hoje satisfação pela "evolução" conseguida com o novo quadro que a KTM montou na sua mota para o Grande Prémio de Itália deste fim de semana, após os primeiros treinos livres.

O almadense, que foi sexto no conjunto das duas sessões, liderou durante quase toda a segunda sessão, terminando o dia a 0,437 segundos do mais rápido do dia, o italiano Francesco Bagnaia (Ducati).

"Foi uma sexta-feira positiva. Uma primeira sessão com boas sensações. Na segunda sessão liderei parte do treino e consegui fazer boas voltas. O objetivo é continuarmos a melhorar a mota, continuarmos o bom trabalho, ir diretamente à Q2, qualificar bem e, sobretudo, alinhar bem a mota para fazer uma boa corrida no domingo", declarou o piloto luso.

Miguel Oliveira considera que a equipa deu "um salto maior do que o esperado" em termos técnicos com a aplicação de algumas soluções testadas em Jerez de la Frontera, em Espanha, há um mês.

"Começámos a usar um quadro [chassis] que testámos em Jerez e aqui resulta bem. A equipa também nos deu mais velocidade de ponta", apontou o piloto português.

O trabalho de hoje foi mais concentrado "na saída das curvas e na estabilidade", com um chassis que "permite ser mais efetivo" na condução.

"Espero conseguir uma boa volta [nos treinos livres de sábado, que apuram os dez melhores diretamente para a segunda fase da qualificação], colocar-me bem e fazer boa qualificação. Parece-me que somos dos melhores em termos de ritmo de corrida", frisou Oliveira.

Por isso, o piloto de Almada aponta para um lugar "dentro ou muito perto dos cinco primeiros".

O GP de Itália de MotoGP é a sexta prova da temporada.

O piloto português ocupa, atualmente, a 19.ª posição no Mundial, com nove pontos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.