O português João Ribeiro destacou hoje que, se estivesse em jogo o apuramento, a nona posição do K4 500 nos Mundiais de canoagem, em Montemor-o-Velho, teria valido um lugar nos Jogos Olímpicos Tóquio2020.

"Fizemos a prova como tínhamos estipulado [com o treinador Rui Fernandes]. Não reparei em que lugar íamos, só pensei em remar bem e chegar rápido ao fim. É a final de um campeonato do mundo. É de salientar que, se fosse este ano o apuramento, penso que este barco iria aos Jogos, que é o nosso objetivo", frisou João Ribeiro.

Emanuel Silva recordou que o "nono não é o último lugar" e que o conseguiram estarão “nos 10 melhores do mundo com uma embarcação que muita gente duvidava ser possível passar à final”.

“Conseguimos. Fomos com tudo. Este foi o melhor resultado que conseguimos. Parabéns aos vencedores, foram mais fortes. Só nos resta trabalhar, ver a prova, melhorar alguns aspetos e para o ano cá estamos”, afirmou.

David Varela assume a "motivação extra" que o resultado encerra rumo a Tóquio2020, cuja qualificação se decide nos Mundiais de 2019 da Hungria, mas também admite "um bocado de desalento" pelo facto de o barco não ter ido mais longe, quando entrou na parte final na sexta posição.

"Há que trabalhar e para o ano cá estaremos para a luta", completou.

O jovem Messias Batista, que apenas esta época se juntou à tripulação, realçou o facto de esta ter "evoluído bastante" nos últimos meses, considerando que em 2019 vai estar "ainda mais forte".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.