O profissional algarvio, de 39 anos, estreou-se com um ‘duplo bogey’ (duas acima) no primeiro buraco e assinou um ‘bogey’ (uma acima) no 4, mas reagiu com quatro ‘birdies’ (uma abaixo) no 9, 11, 12 e 18, contra apenas mais um ‘bogey’ no 15, e acabou por não perder nenhuma pancada para o campo.

“Foi um início muito mau e uma luta até ao fim, mas valeu a pena. No buraco 1 fui para o ‘bunker’ com o ‘drive’, depois bati com a bola no ‘lip’ do ‘bunker’ e ficou no mesmo sítio. Fiz ‘shot’ para a frente, ‘chip’ e dois ‘putts’. Depois, no buraco 7, dei um bom ‘shot’, senti algo diferente, que gostei, e comecei só o focar-me naquele ‘feeling’. Não sei exatamente que aconteceu, mas comecei a jogar bem melhor”, contou Santos, em declarações à Lusa.

Com 71 pancadas, Ricardo Santos ocupa o 44.º lugar no ‘leaderboard’, empatado, e dentro do ‘cut’ provisório, que vai apurar os 65 melhores e empatados para as últimas duas voltas.

À distância mínima da manutenção em prova está o outro representante nacional, Pedro Figueiredo, que concluiu os 18 buracos inaugurais com 73 pancadas (+2), num dia em que o sueco Vincent Norrman e o espanhol Nacho Elvira assumiram a liderança do torneio pontuável para o European Tour, ambos com 64 pancadas (-7).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.