O canoísta João Ribeiro manifestou-se hoje “orgulhoso” da sua medalha de prata em K1 500 nos Europeus, dedicando-a ao grupo do K4 500, especialmente ao “companheiro” Emanuel Silva, hospitalizado na Polónia.

“Este ano consegui vir representar Portugal em K1, que era também o meu desejo. Concentrei-me. Sabia o que tinha de fazer para chegar nos da frente. Só olhei no fim a ver em que lugar ia. Tentei gerir ao máximo na parte da frente. Quebrei um bocadinho na fase final, mas fui o segundo melhor da Europa”, congratulou-se João Ribeiro, em declarações à Lusa.

Na lateral pista nove, afastado do centro da prova, onde se controlam os adversários, o atleta de Esposende passou a meio da regata já em segundo, concluindo o desafio em 1.42,138 minutos, a 1,307 segundos do húngaro Balint Kopasz, que deixou o checo Jakub Zabrel, terceiro, a 1,560.

Apesar do êxito, João Ribeiro, de 31 anos, recordou que veio a Poznan para fazer o olímpico K4 500, algo que não foi possível devido à crise renal de Emanuel Silva, que o mantém hospitalizado desde quarta-feira.

“O objetivo era o K4, estamos a trabalhar e só treinamos para isso para representar Portugal em Tóquio2020. Estamos completamente focados. Infelizmente o Emanuel teve o infortúnio de estar hospitalizado e não poder estar neste Europeu. Vai uma força minha e do grupo. Dedicar-lhe esta medalha, porque certamente queria estar connosco a viver este momento e está privado disso”, vincou.

O canoísta de Esposende elogiou o “trabalho coeso” que está a ser realizado pela equipa liderada por Rui Fernandes, bem como a “grande aposta da federação” no grupo que integra ainda Messias Baptista e David Varela, que completam o K4.

“Ser vice-campeão da Europa é sempre um orgulho muito grande para todos, ainda mais para o João. Todos sabemos o que estamos a passar. Tem sido bastante difícil. Isto vem, obviamente dar um ânimo maior, mas com certeza todos daríamos tudo para que o ‘Mané’ estivesse aqui a competir connosco. Mas estamos muito orgulhosos”, disse Rui Fernandes.

O técnico nacional elogiou o seu pupilo – “um desempenho dentro do normal no João Ribeiro, fez o que tinha de fazer” – e enalteceu o “orgulho muito grande” no seu atleta.

Ainda esta tarde, Norberto Mourão, na canoagem adaptada, disputa a final de VL2, na qual vai competir nos Jogos Paralímpicos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto