A campeã olímpica e bicampeã mundial Dinamarca vai defrontar a campeã europeia Espanha e a vice-campeã olímpica França o Egito nas meias-finais do torneio de andebol de Tóquio2020, após hoje terem afastado, respetivamente, Noruega, Suécia, Bahrain e Alemanha.

Dinamarca e França repetem em Tóquio2020 a presença nas meias-finais do Rio2016, aos quais se junta a Espanha e o Egito, estreante na luta pelas medalhas olímpicas, que afastou a Alemanha, bronze há cinco anos no Brasil.

Os jogos das meias-finais França-Egito e Espanha-Dinamarca, a realizar na quinta-feira, confirmam os resultados das seleções na fase preliminar, já que foram as quatro melhores posicionadas dos grupos A e B, todas com oito pontos.

O duelo nórdico dos quartos de final entre a Dinamarca e a Noruega, que surpreendeu a França na fase de grupos (32-29), foi equilibrado até ao intervalo, em que após sucessivas igualdades, dos 6-6 aos 12-12, a vantagem caiu para o lado dos campeões olímpicos a 40 segundos do fim da primeira parte (13-12).

No início da segunda parte, a Dinamarca puxou dos galões e abriu uma vantagem de três golos, aos 16-13, que geriu e aumentou para cinco, aos 22-17, seis, aos 27-21, e sete, aos 29-22, a cerca de cinco minutos do fim do encontro.

A Dinamarca fechou o jogo com uma vantagem de seis golos, aos 31-25, tendo a sua estrela Mikkel Hansen e Jacob Holm contribuído com oito golos cada. Pela Noruega, Sander Sagosen, também com oito golos, foi o jogador em destaque na finalização.

A Espanha, campeã europeia em título e medalha de bronze no Mundial2021, apurou-se para as meias-finais com um triunfo pela margem mínima frente à vice-campeã mundial Suécia (34-33), que impôs à Dinamarca a única derrota na prova (33-30).

Numa partida marcada pelo equilíbrio, aos 20 minutos as seleções estavam empatadas a 14-14, com a Suécia a superiorizar-se na parte final da primeira parte e atingir o intervalo a vencer por dois golos (20-18), depois de ter estado a vencer por três (19-16 e 20-17).

A Suécia aumentou a vantagem para quatro golos aos 27-23, mas um parcial de 7-1 permitiu à Espanha anular a diferença e passar para a frente aos 30-29, com cerca de sete minutos para jogar.

A seleção espanhola aumentou a vantagem para três golos, aos 33-30, com pouco mais de três minutos para jogar, e apesar da reação da Suécia, que ainda reduziu para um golo, fechou com um triunfo pela margem mínima aos 34-33.

O sueco Hampus Wanne, com 10 golos, foi o melhor marcador do encontro, seguido pelo espanhol Aleix Gómez Abelló, colega do português Luís Frade no FC Barcelona, com oito em oito remates, correspondendo a uma eficácia de 100 por cento.

No encontro mais desequilibrado dos ‘quartos’, a vice-campeã olímpica França derrotou por 42-28 o Bahrain, que ainda equilibrou o marcador até aos 20 minutos (a perder por 12-11), mas foi impotente para travar o ascendente da seleção gaulesa que chegou ao intervalo a vencer por 21-14.

A França, que transformou em golo 42 dos seus 45 remates à baliza do Bahrain, primou pela eficácia dos seus jogadores – Kentin Mahe marcou nove em 10, Dika Mem cinco em seis e Nicolas Tounat cinco em cinco – e aumentou a vantagem no decorrer da segunda parte.

Depois de atingir os 40 minutos a vencer por 27-19, a França quase duplicou essa vantagem a 10 minutos do fim (35-21), situação que lhe permitiu gerir a partida e fechar o jogo com 14 golos de vantagem, aos 42-28, e repetir a presença nas meias-finais.

A seleção gaulesa vai ter como adversário nas meias-finais o Egito, que surge pela primeira vez em Tóquio2020 na luta pelas medalhas olímpicas, depois de ter eliminado nos ‘quartos’ a Alemanha (31-26), numa partida que dominou desde o apito inicial.

O Egito, segundo classificado do Grupo B, apenas superado pela Dinamarca, embora com os mesmos oito pontos, fez um parcial inicial de 6-1, mantendo a vantagem aos 15-10, e chegou ao intervalo a vencer por quatro golos (16-12).

Na segunda parte, depois de uma reação da Alemanha, que por três vezes reduziu a diferença para três golos, aos 19-16, 23-20 e 24-21, o Egito embalou para um triunfo tranquilo, por 31-26, depois de ter estado a vencer por seis golos aos 27-21, e para a primeira presença nas meias-finais olímpicas.

Os alemães Johannes Golla e Julius Kuehn, com seis golos, foram os melhores marcadores do encontro, seguidos de perto pelos egípcios Mohamed Ali e Omar Yahia, ambos com cinco.

Todas as notícias e reportagens sobre Tóquio 2020 acompanhadas ao minuto pelo SAPO Desporto

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.