“Nos Jogos Olímpicos fico mais nervosa… Realmente, estava muito nervosa. A perder por 3-0 pensei que devia ter calma. E foi assim que comecei a jogar melhor. Antes, estava nervosa e a jogar mal, com o corpo rígido e lento”, revelou, em declarações à Lusa.

Frente à jovem sueca Christina Källberg, de apenas 21 anos, Jieni, de 27 anos, começou por ser surpreendida com os parciais de 8-11, 9-11 e 10-12, mas acabaria por recuperar e impor-se com triunfos por 11-6, 11-5, 11-8 e 11-6.

“Estava a jogar muito mal e a facilitar-lhe o jogo, mandando-lhe as bolas para a esquerda, situação na qual ela é bastante forte. A perder por 3-0 decidi mudar de lado e compliquei-lhe a vida”, contou, ainda ‘arranhando’ a língua portuguesa.

Shao Jieni, 63.ª do ranking olímpico, desvalorizou o 149.º posto da adversária, recordando que esta a surpreendeu ao ganhar-lhe em junho nos Europeus.

“Nos Jogos Olímpicos o ranking não diz nada. Isso não conta. Com o passar do jogo ganhei confiança e ela deixou de gostar do meu estilo. Fiz-lhe a vida difícil”, regozijou-se.

Agora, a próxima opositora será Yu Menyu, de Singapura, a 45.ª da classificação olímpica, num desafio que não permitirá vacilações.

“Quero chegar à terceira ronda, mas para isso acontecer tem de sair tudo bem, pois ela é muito boa, uma atleta forte. Tenho de fazer um jogo perfeito e é isso que vou tentar”, completou a representante de Portugal.

Shao Jieni foi 33.ª no quadro de singulares do Rio2016, em que atingiu a segunda ronda.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto