Barega foi cronometrado em 27.43,22 minutos, derrotando na parte final o ugandês Joshua Cheptegei, recordista mundial da distância, que terminou com 27.43,63.

A medalha de bronze ficou para o outro ugandês em prova, Jacob Kiplimo, creditado com um tempo de 27.43,88.

Tradicional potência do meio-fundo mundial, o Quénia não conseguiu melhor desta vez do que um sétimo lugar, o seu pior resultado em finais de 10.000 metros nos últimos 40 anos.

Para Barega, de 21 anos apenas, trata-se do primeiro grande título na carreira, na qual se destacava até agora a prata nos 5.000 metros dos Mundiais de 2019, ainda com idade de júnior.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.