Chemutai fez um ataque decisivo, a 250 metros da meta, para vencer com um recorde nacional a 9.01,45 minutos, após ser a única que resistiu ao 'esticão' da norte-americana Courtney Frerichs, a meio a prova.

Frerichs, que 'desbaratou' o grupo bem cedo, ainda entrou para a última volta com dez metros de avanço, mas já não teve força para reagir de novo ao ataque de Chemutai. A vice-campeã mundial de 2017 viria a terminar em 9.04,79 minutos.

A prova acabou por ser mais um golpe na auto-estima do Quénia, grande potência da especialidade, obrigado a contentar-se com o bronze de Hyvin Kiyeng (9.05,39 minutos), a campeã mundial de 2015 e prata há cinco anos no Rio2016.

Pior esteve a primeira figura do Quénia, Beatrice Chepkoech, recordista e campeã mundial, relegada para sétima com o ataque da norte-americana.

Quanto à norte-americana Emma Coburn, campeã do mundo em 2017 e prata em 2019, desistiu.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.