Depois dos azares dos últimos tempos, finalmente um motivo para Primoz Roglic sorrir: o esloveno é campeão olímpico de contrarrelógio, depois de arrasar a concorrência na prova que tinha início e fim no Autódromo Internacional de Fuji.

Roglic, de 31 anos, cumpriu os 44,2 quilómetros em circuito em Fuji em 55.04 minutos, 1.01 minutos mais rápido do que o holandês Tom Dumoulin, que ficou com a prata - tal como no Rio2016 -, e 1.04 em relação ao australiano Rohan Dennis, medalha de bronze, apenas centésimos mais rápido do que o suíço Stefan Küng, de fora das medalhas por menos de um segundo.

João Almeida, atual campeão luso da especialidade, foi o melhor representante português, ao terminar a 3.29 minutos do vencedor, na 16.ª posição, enquanto Nelson Oliveira acabou a 3.55, no 21.º lugar.

Na prova de fundo, Almeida tinha sido 13.º classificado, na estreia olímpica, e Oliveira, que no Rio2016 tinha sido sétimo no ‘crono’, conseguiu o 41.º posto.

Na participação do ciclismo português, falta apenas entrar em ação Maria Martins, numa inédita participação no ciclismo de pista, para o omnium, em 08 de agosto, último de Jogos Olímpicos Tóquio2020.

Top 10

  1. Primoz Roglic - 55:04.19
  2. Tom Dumoulin - 56:05.58
  3. Rohan Denis - 56:08.09
  4. Stefan Kung - 56.08.49
  5. Filippo Ganna - 56:09.93
  6. Wout van Aert - 56:44.72
  7. KAsper Asgreen - 56:52.21
  8. Rigoberto Uran - 57:18.69
  9. Remco Evenpoel - 57:21.27
  10. Patrick Bevin - 57:24.29

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto