Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 vão ser os primeiros da quarta revolução industrial, graças à robótica, à realidade aumentada e a outras tecnologias, realçou hoje Thomas Bach, presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), na Web Summit.

Durante a sua intervenção na conferência tecnológica de Lisboa, o responsável considerou que os avanços tecnológicos vão permitir que a competição se adapte melhor ao mundo pós-pandemia.

Com medalhas feitas com material eletrónico reciclado, veículos sem condutor com zero emissões poluentes, a rede de quinta geração (5G), a realidade aumentada e a robótica, Tóquio2020 vai "exibir universalidade, sustentabilidade e tecnologia", e dará uma "mensagem de esperança e resiliência" ao mundo", assinalou Bach.

"A chama olímpica vai ser a luz ao fundo do longo túnel em que estamos", vincou o líder do COI, comparando a capacidade de aproximar as pessoas que têm tanto a inovação e a tecnologia, como o desporto.

Thomas Bach acrescentou que, durante a pandemia de covid-19, é possível ver "a importância do desporto para a saúde física e mental", pelo que o desporto é "uma parte integrante da solução para a recuperação da crise".

A Web Summit, que se iniciou na quinta-feira e termina hoje, é considerada uma das maiores cimeiras tecnológicas do mundo e realizou-se este ano totalmente 'online' com um público estimado de 100 mil pessoas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.