O Sporting recebe o Boavista esta terça-feira (20h30), quando faltam dois pontos para conquistar o título que lhe foge há 19 anos. Na antevisão à partida, Rúben Amorim assumiu pela primeira vez a candidatura ao título de campeão nacional.

Sporting é candidato ao título? Sim, basicamente é isso. Se chegássemos a este ponto, com três pontos em jogo que nos dessem o título, somos candidatos ao título, obviamente. Somos candidatos a vencer todos os jogos. Finalmente, ao longo de várias semanas, o Boavista vai jogar um encontro com a pressão do outro lado. Precisam dos pontos para a manutenção, mas a pressão está do nosso lado. Pelos jogadores do Boavista, com a qualidade que têm, e o treinador [Jesualdo Ferreira], que será a pessoa em campo com mais experiência neste tipo de jogos, será um jogo muito difícil. Vamos esquecer tudo o resto, serão mais duas horas de sofrimento."

Prefere ser campeão no sofá ou em campo? "Em relação a ser campeão no sofá ou no campo, eu sou a favor de ser campeão, portanto quem mais cedo, melhor. Não ligo muito a isso de ser dentro ou fora do campo, quanto mais cedo, para mim melhor."

Como se sente com o título tão perto? "Sinto-me da mesma maneira, a responsabilidade é sempre igual, não interessa se somos candidatos ao não. O Sporting é um clube com estatuto muito grande. Estamos a três pontos de ganhar um campeonato que não se ganha há muito tempo. Ainda não somos campeões, será muito difícil. Em relação a ser no sofá ou no campo... Sou a favor de ser campeão. Quanto mais cedo melhor, não ligo muito a isso."

Como preparou a equipa durante a semana? "Com a maior naturalidade possível. A equipa treinou muito bem. Sentimos muita tranquilidade na Academia. Estivemos muito afastados destas manifestações de apoio, mas claro que os jogadores estão a par, até porque existem as redes sociais. Para este jogo não alterámos nada. Agora, os jogadores estarão um pouco mais ansiosos. Cada um lidará com isto à sua maneira. Tentei nesta semana não fazer nada de especial."

Festejos do título: "Não faço a mínima ideia do programa das festas. Obviamente que se ganharmos o campeonato hoje não sou eu que os vou mandar para a cama. Eles podem fazer o que quiserem, desde que apareçam amanhã para jogar. É impossível controlar estas situações. A nossa ideia é ganhar ao Boavista e não estarmos à espera do que façam os nossos rivais."

A preparação da festa: "Ficaríamos ofendidos se o Sporting não preparasse a festa pois não confiava em nós. A preparação tinha de existir e é motivo de confiança. Mas pode acontecer amanhã e os jogadores pensaram nessa possibilidade mas eram bons sinais".

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.