O Gil Vicente vai tornar-se na próxima época, quando disputar as pré-eliminatórias da Liga Conferência Europa, a 27.ª equipa portuguesa a participar nas taças europeias de futebol, após o quinto lugar na I Liga 2021/22.

A formação de Barcelos igualou o seu melhor registo de sempre na prova, replicando 1999/2000, sendo que, desta vez, essa posição vale um lugar nas taças europeias, ao contrário do que sucedeu há 22 anos.

Sob o comando de Ricardo Soares, que entrou para o comando da equipa à oitava ronda da edição 2020/21, o Gil Vicente arrancou com duas vitórias e era segundo após duas rondas, mas, com sete jogos sem ganhar, caiu até 10.º, antes de voltar a subir.

Nos 18 jogos que se seguiram, a formação gilista pontuou em 17, incluindo uma vitória na Luz (1-2) e um empate no Dragão (1-1), com 10 unidades desde os três minutos, falhando apenas em Alvalade, onde perdeu por 3-0, à 15.ª ronda.

A meio da prova, o Gil Vicente já passou no quinto lugar e não mais o perdeu, apesar dos ameaços do Vitória de Guimarães, que teve de se contentar com o sexto e ainda não sabe se estará na Europa em 2021/22 – precisa que o campeão FC Porto vença a final da Taça de Portugal, face ao Tondela.

Como se candidatou a disputar as taças europeias, ao contrário do que sucedeu com o Desportivo das Aves, quando venceu a Taça de Portugal de 2017/18, o Gil Vicente vai ser a 27.ª equipa lusa a ‘mostrar-se’ à Europa, podendo ser acompanhado precisamente pelo também estreante Tondela, se houver surpresa no Jamor.

A primeira equipa portuguesa a participar nas taças europeias foi o Sporting, na edição inaugural da Taça dos Campeões Europeus, em 1955/56, seguindo-se, na mesma prova, então única, o FC Porto, em 1956/57, e o Benfica, em 1957/58.

Na década de 60 do século passado, foi a vez de Belenenses e Leixões (ambos em 1961/62), Vitória de Setúbal (1962/63), CUF (1965/66), Sporting de Braga (1966/67), Académica (1968/69) e Vitória de Guimarães (1969/70).

Depois, na década de 70, estrearam-se apenas Barreirense (1970/71) e Boavista (1975/76), e, na de 80, mais duas, o Portimonense (1985/86) e o Desportivo de Chaves (1987/88).

Nas últimas 10 temporadas do século XX, foi a vez de Estrela da Amadora (1990/91), Salgueiros (1991/92), Marítimo (1993/94), o primeiro clube das ilhas, Farense (1995/96) e Beira-Mar (1999/2000).

Já no século XII, a primeira estreante foi a União de Leiria (2003/04), seguindo-se Nacional (2004/05) e Paços de Ferreira (2007/08), na primeira década, e Estoril Praia (2013/14), Rio Ave (2014/15) e Arouca (2016/17), na segunda.

Na presente década, a terceira do século, o Santa Clara tornou-se a 26.ª - e até agora última - equipa lusa a participar nas provas da UEFA, não incluindo as presenças na Taça Intertoto.

Em 2022/23, será a vez do Gil Vicente e, quem sabe, do Tondela, sendo que, dos participantes na edição 2021/22 da I Liga portuguesa de futebol, também ainda nunca disputaram provas europeias o Famalicão, o Vizela e o Moreirense.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.