O futebolista Francisco Conceição antecipou hoje um diferente grau de dificuldade para a seleção portuguesa de sub-21 na ronda decisiva do Europeu da categoria, dois meses após ter ultrapassado a fase de grupos com distinção.

“Defrontámos seleções com grande qualidade, mas sabemos que as equipas presentes nestes quartos de final também são muito fortes e têm jogadores de muita qualidade, senão não estavam aqui. As dificuldades serão muitas, mas o contexto é completamente diferente e temos de mudar o ‘chip’”, apontou o avançado, em conferência de imprensa.

Vencedor do Grupo D, com nove pontos, graças a um ‘pleno’ de vitórias sobre Croácia (1-0), Inglaterra (2-0) e Suíça (3-0), Portugal defronta a Itália na segunda-feira, às 21:00 (20:00 em Lisboa), no Estádio Stozice, em Ljubljana, no derradeiro jogo dos quartos de final do campeonato da Europa de sub-21, com arbitragem do francês François Letexier.

“Sabemos que será um jogo muito complicado e contra uma grande equipa, mas estamos preparados para ganhar, esperamos a vitória e vamos com tudo. Histórico de confrontos favorável à Itália? Não olhamos muito àquilo que são as estatísticas. Claro que elas contam e contaram no passado, mas esperamos que se possam inverter”, considerou.

O vencedor dessa partida medirá forças com Espanha ou Croácia, em 03 de junho, às 18:00 (17:00 em Lisboa), no Estádio Ljudski vrt, em Maribor, sendo que a final está prevista para 06 de junho, de novo em Ljubljana, às 21:00 (20:00 em Lisboa).

“Todo o coletivo é a força da Itália. São muito competitivos e trabalhadores. Se recebi dicas lá em casa? Conheço as equipas italianas porque vejo muito futebol e sou fã, mas não me recomendou nada nem me deu indicações”, contou Francisco Conceição, filho de Sérgio Conceição, treinador do FC Porto e ex-jogador de Lazio, Parma e Inter de Milão.

O extremo, de 18 anos, registou 17 aparições durante a época de estreia na formação principal dos ‘dragões’, mais quatro golos em 20 jogos pela equipa B, além de ter somado as primeiras internacionalizações no escalão de sub-21 na primeira fase do Europeu.

“Como todos os outros, posso acrescentar aquelas que são as minhas características mais fortes, esperando contribuir para o sucesso da nossa seleção. Não olhamos muito à responsabilidade advinda da fase de grupos, mas sempre ao próximo jogo. Claro que é especial estar nesta fase, mas estamos tranquilos e sabemos do nosso valor”, vincou.

Finalista vencido em 1994 e 2015 e ausente da edição de 2019, Portugal procura um inédito título à oitava presença na fase final de um Europeu de sub-21, que integra pela primeira vez 16 equipas e tem decorrido na Hungria e Eslovénia num formato desfasado, devido ao adiamento para este ano do Euro2020, motivado pela pandemia de covid-19.

“Podemos conquistar esse troféu, mas não olhamos muito para o que pode acontecer mais à frente, já que ainda não defrontamos a Itália nem sequer vencemos o próximo jogo”, concluiu Francisco Conceição, que já marcou um golo em três partidas como suplente utilizado no Euro2021 de sub-21 e sorriu quando questionado sobre o título.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.