O Palmeiras foi ao terreno do Universidad Católica somar uma vitória por 1-0 na primeira mão dos oitavos-de-final da Taça Libertadores e, no final da partida, Abel Ferreira elogiou a entrega ao jogo demonstrada pelos seus jogadores.

"Sabíamos que era um jogo muito difícil. Fizemos um estudo dos últimos resultados das equipas brasileiras aqui e não era positivo. É uma equipa com histórico na Libertadores, uma equipa competitiva e ganhámos aqui porque fomos competitivos, organizados e inteligentes perante um adversário forte, uma equipa intensa", começou por dizer.

O técnico português reconheceu que o futebol praticado pela sua equipa não terá sido o melhor, mas sublinhou que o mais importante era o resultado e, para o explicar recorreu a uma metáfora com...cheiros e perfumes...

"Sabíamos pelo estado do relvado e pelo adversário que seria um jogo mais para competir do que para mostrar bom futebol. Fizemos um bom jogo no sentido competitivo. Eu gosto de um bom perfume, mas foi o perfume do cheiro do suor e o trabalho que nos fez ganhar", frisou.

"Sei que o Palmeiras é grande, mas temos de valorizar o mérito do nosso adversário. Temos de respeitar muito, conseguimos um bom resultado, mas nada está fechado. Temos de continuar alerta, focados, vamos recuperar, porque temos um jogo daqui três dias. É o nosso destino estar sempre a competir e a jogar. Espero não ter lesões, para depois preparar o jogo da segunda mão", acrescentou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.