O presidente da Federação Francesa de Ténis (FFT), Bernard Giudicelli, admitiu hoje a possibilidade de o torneio de Roland Garros, adiado para setembro, se jogar à porta fechada devido à pandemia de covid-19.

Em entrevista ao Journal du Dimache, Bernard Giudicelli considera que este modelo de competição seria o mais viável em termos económicos.

“Organizar a prova à porta fechada permitiria manter parte do modelo económico, os direitos televisivos e os patrocínios”, disse o presidente da FFT.

O ‘Grand Slam’ francês, disputado na terra batida do complexo parisiense, estava inicialmente programado para decorrer de 24 de maio a 07 de junho, mas foi remarcado para o período entre 20 de setembro e 04 de outubro, se as condições sanitárias o permitirem.

Na quinta-feira, a FFT anunciou que iria devolver o dinheiro dos bilhetes comprados para as datas originais do torneio, garantindo que está a trabalhar em colaboração com as autoridades “para estabelecer as medidas necessárias que garantam a saúde e a segurança de todos os agentes do torneio”, no sentido de assegurar a sua realização em setembro.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 276 mil mortos e infetou mais de 3,9 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

França é um dos países mais afetados pelo novo coronavírus, com 26.310 mortos, mais de 176 mil casos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.