O jogador de râguebi da seleção italiana Maxime Mbanda ofereceu-se como voluntário para ajudar na luta contra a pandemia da Covid-19 e está no centro do combate contra a doença, relatando uma realidade assustadora.

O internacional italiano, que devia ter jogado no sábado contra a Inglaterra diante de 60 mil pessoas, ofereceu-se para ajudar e foi colocado como motorista de uma ambulância na região de Emília-Romanha, uma das zonas mais afetadas pela pandemia no país.

Com máscara no rosto e fato de proteção completo, Maxime Mbanda explicou que, com a competição suspensa, quis perceber como podia ajudar, mesmo sem ter habilitações médicas: o terceira linha da seleção italiana passou para a linha da frente no combate à Covid-19.

“Estava num serviço de transporte de alimentos e remédios a idosos. Depois, fui colocado na transferência de doentes que dão positivo de um hospital da região para outro. Ajudo com a maca, transporte de cadeiras de rodas ou oxigénio”, frisou.

Maxime Mbanda descreve uma realidade “assustadora” devido à pandemia.

"Se as pessoas vissem o que eu vejo nos hospitais, não haveria mais filas na frente dos supermercados. Pensariam duas ou três vezes antes de sair de casa, até para correr", assegura o jogador, de 26 anos.

O internacional italiano refere que vê pessoas de todas as idades com “ventiladores e oxigénio”, com os médicos e enfermeiros a prestarem assistência nos hospitais durante “20 ou 22 horas”.

Apesar das dificuldades e do desgaste, Mbanda garante que não vai desistir, no país que, desde quinta-feira, é o que tem maior número de vítimas mortais, no total de 3.405, em 41.035 casos.

"Enquanto tiver forças, continuarei. Estou lá e fico lá enquanto houver uma emergência”, frisou.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 235 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 9.800 morreram. Das pessoas infetadas, mais de 86.600 recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro de 2019, e espalhou-se por mais de 179 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde a declarar uma situação de pandemia.

Depois da China, a Europa tornou-se o epicentro da pandemia, o que levou vários países a adotarem medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Em Portugal, que se encontra em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira, a Direção-Geral da Saúde elevou o número de casos confirmados de infeção para 785, mais 143 do que na quarta-feira. O número de mortos no país subiu para cinco.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.