O Diretor Técnico Nacional (DTN) de natação considerou que a participação portuguesa nos Mundiais de piscina curta “ultrapassou os objetivos definidos”, com a obtenção de 14 recordes nacionais e três presenças em finais.

“Esperamos que estes resultados se possam assumir como injeção motivacional para o próximo campeonato do mundo de piscina longa e para o que falta cumprir até ao final do ciclo Tóquio2020”, afirmou José Machado, em declarações à Federação Portuguesa de Natação (FPN).

José Machado destacou a “atitude competitiva” dos 10 atletas que representaram Portugal na competição, que terminou no domingo, na cidade chinesa de Hangzhou.

O DTN mostrou-se satisfeito com a qualificação “para duas finais individuais e uma de estafeta e 11 classificações individuais dentro dos 16 primeiros”.

O responsável técnico, que considerou fundamental “o papel dos clubes e treinadores dos nadadores” lembrou ainda que “a competição fica marcada pela obtenção de 14 recordes nacionais absolutos, quatro dos quais foram batidos por duas vezes”.

Antes da partir para a China, a seleção portuguesa realizou um estágio em Macau, que José Machado considerou ter sido uma mais-valia para os nadadores.

Em Hangzhou, Portugal marcou presenças na final feminina dos 200 metros mariposa, na qual Ana Catarina Monteiro foi sexta, na final dos 800 metros estilos, que João Vital terminou no oitavo posto, e na final da estafeta masculina 4x200 metros livres, que o quarteto luso concluiu no sétimo lugar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.